– A greve na UnB


Além da presença do reitor no cenário da greve da Universidade de Brasília, a notícia quente é que a diretoria da entidade sindical dos professores da UnB poderá ser destituída. O que significa que o peleguismo nas IFES sofrerá baixas consideráveis.

.

De na mídia

A Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB) marcou uma nova assembleia para esta sexta-feira para rediscutir o fim da greve na instituição. Na última sexta, uma assembleia com a participação de cerca de 250 professores decidiu interromper a paralisação, que durava quase três meses. O comando local de greve, no entanto, questionou a validade dessa assembleia e pediu a retomada da greve.

Fonte: (AQUI)

.


O vídeo postado no dia 03/08/2012, de uma Assembleia da UnB, mostra que, em todo o país, aumenta a insatisfação com os pelegos. “Prazam os céus que cheguemos ao nível de intolerância zero!” – manifestou o Saci após assistir o material postado no YouTube.

Anúncios

6 Respostas to “– A greve na UnB”

  1. O Saci-Pererê Says:

    Circulou na “debates-l”:

    ————————————
    Caros colegas
    Vejam a situação da UNB hoje há poucas horas atrás em
    http://g1.globo.com/distrito-federal/noticia/2012/08/grupo-quer-anular-decisao-sobre-fim-da-greve-na-unb.html

    A coisa está se complicando em vários lugares e até o Reitor da UNB foi pego de surpresa. A imprensa já não sabe em quem confiar. Hoje na hora do almoço o Jornal da Globo declarava ao mesmo tempo que a greve havia acabado nas instituições de base da PROIFES, como a UNB e logo em seguida dizia que não havia nenhum professor em sala de aula. Ouvia como fonte uma aluna que dizia, …”é assim mesmo, parece que vamos ter aula de verdade somente na semana que vem”

    É cômico se não fosse trágico. Parece que fatos como os presenciados no movimento docente da UFBA, estão se espalhando em outros locais.

    Na Assembléia de hoje, para os que não compareceram, venho informar que continuamos em greve e será protocolado nesta semana em dois ministérios a contra proposta do CNG.

    atenciosamente
    Prof. Simone Bortoliero
    FACOM-UFBA

    • O Saci-Pererê Says:

      Circulou na “debates-l”:

      ———————————–

      Cara colega
      Se o Proifes ganhou a UnB, é uma grata surpresa!
      Não sabia. Favor confirmar.
      Grato
      João Augusto

      • O Saci-Pererê Says:

        Circulou na “debates-l”:
        ————————–

        Caro Professor João,

        Acho que a profa. Simone se enganou ao considerar que a associação de docentes da UNB
        fosse da base do Proifes. De fato, o Proifes não “ganhou” o sindicato dos professores
        da UNB.

        Porém, há uma estranha coincidência na forma como está agindo o sindicato de lá e a
        diretoria de nosso sindicato daqui. Nos dois casos as diretorias dos sindicatos jogam
        como adversários dos docentes.

        Talvez por isso a profa. Simone tenha sido levada ao erro.

        Att
        Nelson Bejarano
        IQ-UFBA

    • O Saci-Pererê Says:

      Circulou ba “debates-l”:

      ——————————-

      Colega

      A APUB é adversária dos docentes, colega? Quando você chegou à UFBA? De que docentes, mesmo, você está falando? A APUB tem 44 anos, a mais antiga do país, começou em 1968, nas vésperas do AI5, passou dez anos desativada, por conta do regime militar, e agora você descobre que ela age contra os docentes?

      Observe que, durante todo esse tempo, memso na ditadura militar, ninguém ousou dar um golpe e tomar uma Diretoria da entidade legitimamente eleita, comomo comando de greve, agora. Em que AD do Brasil, um “comando de greve” que nunca se renovou nem se importou em representar o conjunto das unidades da UFBA (no comando há representação de somente 11 das 32 unidades e a FACED tem 6 membros, em 20!), agiu com tanta estreiteza e autoritarismo, chegando à intolerância de tentar um golpe contra a própria Diretoria da entidade, em prejuízo da greve, a três meses das eleições?

      O comando impediu informes que fossem dados informes do Proifes em suas reuniões, ele que, afinal, foi que soube negociar, ao invés da Andes que levou, de 17/5 a 18/8, para fazer uma contraproposta, no sufoco, para brigar pea abertura de negociações com o governo e tentear capitalizaer al]guma coisa, no fuinal da greve! É essa condução que você acha que esteja a favor dos docentes?
      Que docentes, volto a lhe perguntar.

      Atenciosamente,
      João Augusto, ex presidente da APUB(1985-87) e membro de mais 5 diretorias, inclusive esta.

      • Menandro Ramos Says:

        Car@s,

        Respondendo ao Prof. João Augusto Rocha, ex-diretor acadêmico da nossa entidade sindical, recentemente destituído:

        A APUB não é adversária dos docentes. Seria uma tolice afirmar isso. Ou seria uma entidade autofágica… O que podemos afirmar, sem medo de errar é que, depois de 2004, as diretorias que se instalaram na APUB foram pro-Lula, e tudo começou a partir desse apoio incondicional ao presidente e au seu partido. O governo Lula, em oito intermináveis anos, deu aos professores 1% de aumento, com a inflação embutida nesse bolo. Como o astucioso ex-presidente por dois mandatos afagou o capital – ainda que fazendo teatro com programas sociais – é facil saber, por tabelinha, de que lado estavam as tais diretorias. Ao optar pela Proifes Federação, que não é e nem pode ser sindicato, pela Costituição Federal de 1988, as últimas diretorias da APUB lançou seus seguidores num abismo insondável.

        Na pergunta do programa humorístico global antigo: “O que é que eu sou? – O que é que eu sou?” O que é que eu sou? Certamente, o comediante Jô Soares responderia: “Sois nada!”

        Discordo ainda do Prof. João Augusto se tenta dizer que APUB sempre foi um mar de rosas. A Prof. Lúcia Lobato, hoje aposentada da escola de Dança, postou neste Blog, meses atrás, algo em que ela afirma o contrário. Segundo a colega, o ínclito Prof. Israel Oliveira Pinheiro deu um golpe, sim. Quem quiser ler, é só clicar (AQUI).

        Portanto, a história da APUB de luta, não pode ser confundida com a história de algumas de suas diretorias pelegas. Por favor, Prof. João Augusto! Respeite a inteligência dos Professores e das Professoras da UFBA!

        O que o Sr. pode dizer é que a base da APUB não se dobra. Isso sim! Ainda que fique por algum tempo como que “hibernando”, quando acorda, acorda pra valer. Aliás, isso é uma caracteristica da verdadeira base. E não é só para afugentar o tal Proifes, não. Veja o caso da UnB. Assista ao vídeo postado no endereço abaixo, e veja como a base da ADUnB tem se manifestado. A impressão que se tem é que está cada vez mais ganhando corpo um movimento de caça aos pelegos e pelegas.

        Veja no referido vídeo a passagem em que um professor do Departamento de Filosifia da UnB diz com todas as letras: “O presidente da ADUnB se comportou como um moleque”.

        Como o Prof. João Augusto pode ver, lá e cá, mancadas há!

      • O Saci-Pererê Says:

        Circulou na “debates-l”

        ————————-:

        Colega,

        Estou na UFBA desde 1982 e sempre filiado a APUB. Entretanto nunca vi a APUB como agora, nos últimos anos:

        1) CENSURANDO emails de professores, várias vezes FUI CENSURADO no passado por membro que apoia esta diretoria

        2) NEGANDO ASSISTENCIA juridica (recente email Luis Paulo Guimarães no dia 17-08-2012)

        3) Evitando divulgação de assembleia

        4) IR A JUÍZO para IMPEDIR consecução de ASSEMBLEIA. Pelo menos é o que se depreende da liminar na qual a Meritissima Juiza afirma que não poderia proibir a realização da assembleia?

        5) DESCUMPRINDO decisões das assembleias

        6) Todas as ações da DIRETORIA ATUAL da APUB foram no sentido de evitar a greve e sua manutenção. Sempre se pautando na espera de ações do governo que desde 2009 vem protelando, protelando, protelando?

        7) A DIRETORIA DA APUB sonegou as informações sindicais que ocorriam no resto do País

        Há muitas outras ações mais que a DIRETORIA DA APUB ATUAL tomaram ou se omitiram de tomar e não vou citar agora de pronto. Professor, a diretoria da APUB estava todo o tempo boicotando o movimento paredista.

        Professor, não foi o comando de greve que destituiu a DIRETORIA da APUB. A DESTITUIÇÃO se deu por aplicação DO ESTATUTO. A destituição se deu por professores a maioria deles de ampla faixa etária e diversas etnias, cores, crenças. Não foram Andistas nem Proifistas, foram simples professores.

        Professor, quem se desligitmou foi a própria diretoria da Apub através de seus atos contrários aos professores.

        Roberto Bastos Guimarães

        Professor da UFBA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: