1058 – Presidente da APUB desafia oposição

PRESIDENTE-APUB

.

A.
.
nteontem, alguém da Oposição esteve na sede da APUB para cobrar uma resposta ao ofício protocolado na sexta e não obteve resposta. Ontem, esteve de novo e falou com a  presidente da entidade. Ela disse que tiveram uma reunião ampliada na segunda-feira e uma reunião de diretoria na terça, e que decidiram que não vão convocar AG nesta semana nem na próxima, somente em julho. Em linhas gerais, disse que “não se submete ao calendário do ANDES”. Não adiantou argumentar que o calendário está sendo imposto pela conjuntura nacional. Publicará a resposta oficial a qualquer momento.
Pelos corredores da UFBA, o que se pergunta é: “De onde vem essa segurança assim de repente?”
.
NOTA-PELEGAPara o Saci, as notas da diretoria da APUB cada vez mais estão abusando da Margarina e do Óleo de Peroba…
Anúncios

7 Respostas to “1058 – Presidente da APUB desafia oposição”

  1. Miguel Says:

    O saci pergunta, mas ele mesmo já dá a resposta na charge… De fato, só as condições materiais podem forjar as ações. Show de bola a precisão cirúrgica do artista arteiro… RSSSS.

  2. altino Says:

    Ah!Ah! quem não identifica nessa posição a postura típica de prepostos de governos?
    Caiu o véu? caiu a máscara? ou apenas mais uma demonstração repetitiva da postura anti-sindical e anti-representativa da categoria dos professores para apreciação de toda categoria e deleite da pelegada?
    altino

  3. osaciperere Says:

    Circulou na lista “apub-l” (que acabou só para a base da entidade):

    ———————————————————————————

    Nota da diretoria da Apub Sindicato (sic)

    A amplitude e a responsabilidade que todos nós desejamos para as assembleias gerais da Apub Sindicato são as razões pelas quais suspendemos a AG prevista para o dia 29 de maio e decidimos preparar uma assembleia para a segunda semana de julho, após o recesso. O cancelamento da AG de 29 de maio é exemplo desta preocupação. A decisão foi tomada na reunião da diretoria, quando se anunciava que a greve dos rodoviários persistiria até a sexta-feira, 30/05, dia previsto para julgamento do dissídio no TRT.

    Os esforços da diretoria e da Comissão de Mobilização não teriam possibilidade de atrair a atenção e garantir a presença de número expressivo de professores naquela AG. Do mesmo modo, não vimos condição de realizar outra assembleia no dia 05/06 – conforme solicitado pelos professores Lana Blecher (Odonto), Daniel Marques da Silva (Teatro) e Sandra Marinho (FACED), membros da Comissão de Mobilização – que fosse ampla e representativa para discutir e deliberar contrária ou favoravelmente a um indicativo de greve nacional.

    Não podemos ignorar dois fatos. O primeiro: a situação peculiar desse semestre acadêmico, com um recesso que começa no dia 12/06. O segundo e mais importante: a avaliação dos resultados do esforço de mobilização dos professores para assembleias gerais nos últimos dois meses. Em abril (dias 11 e 24) e maio (6 e 14), a Apub realizou quatro assembleias, dando ênfase aos pontos campanha salarial, carreira docente e condições de trabalho. Além das ferramentas tradicionais de divulgação, torpedos e distribuição de panfletos nos campi, convocando os docentes para as AG foram usados.

    Nesse período, aliás, foi criada uma Comissão de Mobilização (que salvo diretores, era composta por colegas de oposição à atual diretoria), que distribuiu panfletos e promoveu debate específico sobre carreira e campanha salarial, no dia 21 de maio, definido pela AG como Dia de Mobilização da Categoria.

    Apesar desse esforço, a participação dos professores nas AG foi pequena – uma média de 40 assinando a lista de presença. Parece-nos claro que, para os professores, esse não seria o momento em que sua participação seria urgente e decisiva. Assim, a discussão e o aprofundamento das questões devem continuar. Para isso, a diretoria estimulará e participará de encontros nas unidades, colocará como matéria central no próximo número do jornal carreira, salário e condições de trabalho e criar pontes e diálogos com as demais entidades para fortalecer a luta em nível nacional.

    Para a diretoria, a participação ampla dos docentes da base do Sindicato nos espaços deliberativos e de discussão é uma questão fundamental para sustentar propostas e encaminhamentos que incorporem a maioria dos docentes à luta por melhores salários e condições de trabalho. Um momento dessa luta será a assembleia de julho, que estamos construindo desde agora.

    Saudações sindicais,

    Diretoria da Apub

  4. Lilico Gama Says:

    será que a diretoria pelega suspenderia o forró anunciado por conta de uma greve de ônibus? hipócritas cara de pau!!!

  5. altino Says:

    LILICO!!
    cabe destacar, de um lado a posição da pelegada da Apub…..de outro os pelegos que vão para o forró!! Não tem diretoria pelega que se sustente se não tiver pelegos sustentando-a!!!
    continua na pauta a convocação da categoria para DESTITUIÇÃO dessa diretoria que atua ao arrepio de decisão judicial, com base em estatuto tornado nulo!!
    Saudações,
    altino

  6. Miguel Says:

    Não há corrupto se alguém que o corrompa. Portanto, são farinha do mesmo saco…

  7. Miguel Says:

    Não há corrupto sem alguém que o corrompa. Portanto, são farinha do mesmo saco…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: