1226 – E o homem criou Deus!

.

LIBERDADE-DE-EXPRESSÃO-2015.

Menandro Ramos
Prof. da FACED/UFBA

P.

.

ara o Saci, a ideia de Deus, ou de algo superior, é um atentado contra a inteligência humana, e isso é um ponto pacífico para ele. Mas pior ainda do que isso, é matar em nome de um “ente superior”, de qualquer que seja a religião ou seita. Para ele é difícil de entender como funciona a cuca de alguém que se acha no direito de “justiçar” outrem por fazer uma piada ou uma caricatura abordando um desses divinos (Jesus, Maomé, Buda, Lula etc).

A tríade de qualidades atribuída a Deus, pelo menos ao Deus concebido no Ocidente (onipotência, onipresença, onisciência), sobejamente questionada por cérebros lúcidos – segundo o pestinha -, guarda situações insustentáveis. Só examinando uma delas, a onisciência: Se Deus é onisciente, significa que ele sabe tudo, quer seja passado, box-9presente ou futuro. O que significou também que desde a materialização do Cosmos, do “Fiat Lux”,  já sabia que atentados bestiais ocorreriam em nome das religiões. E, ainda assim, permitiu que acontecessem em razão de um treco chamado de “livre arbítrio”…

Enquanto eu tentava manter os olhos abertos, tamanho era o sono, o Saci fez longas considerações sobre o que ele também considerava como o ópio do povo. Não pude acompanhar com atenção suas incursões sobre a Essência do Cristianismo, de Feuerbach, nem tampouco quando ele falou acerca do fastio de Marx,  em continuar batendo na tecla da religião, embora tivesse me esforçado loucamente… Há muito descobri que o papo sobre transcendentalidade tem o poder de acionar fortemente o dispositivo do cochilo do meu cérebro. Coisa de louco.

Percebendo o meu estado de torpor, ele se vingou com uma baforada fedorenta do seu pito no meu rosto. Meio envergonhado e confuso, tentei dizer qualquer coisa.

– Interessante, Saci! Eu sempre o julguei um agnóstico…

Rapá! Perdi o meu latim! Você não ouviu bulhufas de nada!

Um tanto sem jeito, ainda tentei retrucar:

– Como não entendeu bulhufas de nada? Apesar de estar de olhos fechados,  ligado…

– Se tivesse ligado, teria ouvido quando eu disse que para Engels “o agnóstico é o materialista covarde…”.

Nem preciso dizer que, de tanta vergonha, só queria morrer e sentar ao lado do Deus Pai Todo Poderoso ou qualquer outra divindade do Oriente…

Meio amuado, o pestinha correu para o computador para se vingar no mouse.

***

De forma súbita, ocorreu-me uma ideia, um insight, vindo não sei de onde.

“O homem não criou o computador, e sim o contrário: o computador foi que criou o homem E no sétimo dia o homem criou Deus, à sua dessemelhança, de pixels luminosos!”

 

 

Anúncios

Uma resposta to “1226 – E o homem criou Deus!”

  1. Jober Pascoal Says:

    Texto muito bem escrito e com boas reflexões… A minha grande discordância diz respeito à afirmação nada interessante de que acreditar em deus eh um atentado à inteligência humana… Não precisava ser tão enfático… “Deus” eh uma realidade abstrata que necessita da crença pra alcançar sua justificativa. Acreditar ou não acreditar nisso não eh razão alguma pra transformar alguém em um ser néscio ou sábio…
    Fora isso, concordo com a maioria das coisas… Abração…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: