494 – UFBA: energia para o Festival de Verão

Para o Saci, bobo é quem pensa que o andor que a ciência carrega é leve! Bobo é quem pensa...

.

Menandro Ramos
Prof. da FACED/UFBA

 

 

 

ra só clicar com o mouse no botão de publicar. Eu havia redigido, com muito gosto, uma notinha para publicizar neste Blog  o grande feito da nossa querida Universidade, a UFBA, e também aproveitar para dar os parabéns aos envolvidos no importante projeto de transformar óleo residual em Biodiesel, a fim de reduzir os impactos que o milionário evento do grupo da Rede Bahia provoca ao meio ambiente. O post já estava pronto, “redondinho, bonitinho”  como os jovens costumam dizer, mas veio o Saci e meteu o bedelho, ou melhor, o cachimbo.

– É chefia, não é para ser do contra, não!, mas parece que é a sina de alguns limparem a sujeira que outros deixam… Recentemente, publicamos algo que mostra o quanto o capital vem se apropriando do conhecimento que as Universidade Públicas produzem (veja AQUI), e agora você me vem com essa! Só para confirmar o que já se sabe: o benefício maior é para os mesmos de sempre! E você ainda sai correndo para soltar foguetes!…

– Devagar com o andor, amigo, nós não podemos deixar de divulgar algo tão importante por conta de…

– Já sei! Exercitar o pensamento crítico melindra, causa desconforto à cúpula que tem um papel institucional etc, etc…

– Não seja tão radical, meu endiabrado amigo! – repreendi-o sorrindo, pois estava bem-humorado – Estamos carecas de saber o que significa esse badalado evento, entretanto…

Bufando de cólera ele me arrebatou a palavra e metralhou sua verborreia sem dó nem piedade.

– Evento, não! Efuracão! Efuracão globalizado com todas as letras e cifras! Ora bolas! Uma realização empresarial que usa o que a Bahia tem de mais atraente para fazer concentrar o capital, a grana, a bufunfa, o arame, o metal na mão dos mesmos de sempre, sob os auspícios do Estado burguês que destina sua infraestrutura ao megagrupo empresarial, em troca do acessa aos camarotes das otoridades, e outras cositas mas! AHHHH! Me poupe, chefia! Me faça uma garapa de rapadura de Caetité! Até parece que a alegria da Bahia é a alegria dos 50 mil endinheirados que lotam cada noite o espaço público ocupado pelo Festival de Verão! Até parece!…

– Tudo bem – contemporizei – você não deixa de ter razão, mas o que quero agora é falar da minha alegria em poder dizer que a natureza agradece pela contribuição que a minha instituição deu ao meio ambiente, e registrar a minha satisfação em divulgar que a UFBA…

– Deu a luz para o Festival de Verão? Hum! Bota aí no título:

“UFBA DÁ LUZ NO FESTIVAL DE VERÃO!”

Enquanto eu avançava para ele, a fim de lhe aplicar um bom safanão pela piadinha sem graça, o pestinha de gorro vermelho e pito se esquivou, gingou qual aluno de Mestre Bimba e se mandou pela janela que nem um tufão.

– Ah! Se ele era besta de ficar!

—————————————

Caso esteja a fim de ler mais uma pouco, fica a sugestão de alguns textos relacionados ao tema, que também publicamos neste Blog:

Marx no Festival de Verão

A Indústria Cultural Baiana

Festivais de Verão

A Indústria Cultural

Uma resposta to “494 – UFBA: energia para o Festival de Verão”

  1. osaciperere Says:

    Deu no UFBA em Pauta:
    —————————————————

    Biodiesel produzido na UFBA deu energia ao Festival de Verão

    Laboratório na Politécnica recicla resíduos de óleo

    O Festival de Verão deste ano foi realizado em Salvador com a proposta de diminuir os impactos ambientais causados pelo evento. A Geradora, parceira da Bahia Eventos, organizadora do festival, utilizou biodiesel nos geradores de energia instalados no Parque de Exposições de Salvador, em ação desenvolvida com a UFBA, responsável por transformar óleo residual em Biodiesel no laboratório da Escola Politécnica.

    Segundo Ângela Márcia, coordenadora do projeto ambiental do Festival de Verão, toda a energia do evento foi movida pelo combustível produzido pelos pesquisadores. “Os resíduos produzidos no parque não dão conta de toda a energia que precisamos, mas parte será do que for recolhido aqui, e parte do que já foi recolhido pela UFBA em outras partes da cidade será o suficiente”, explicou.

    À frente da pesquisa, o coordenador do laboratório de energia da UFBA, Prof. Ednildo Torres, ressalta que o biodiesel produzido a partir dos resíduos da festa é mais renovável e limpo que o comercializado em postos de combustível. “Na bomba comum há o biodiesel 5%. Ou seja, cinco litros de biodiesel e 95 de óleo diesel a cada 100 litros distribuídos. O nosso apresenta 30 litros de biodiesel a cada 100. Se tem mais biodiesel, menos agressor ao meio ambiente ele é”, disse.

    Segundo Ednildo Torres, essa adequação melhora as emissões atmosféricas, protege os rios e mares onde seria descartado esse óleo, além de contribuir para a pesquisa científica. Oito alunos da UFBA atuaram no Festival de Verão como monitores junto aos geradores de energia, com o objetivo de identificar melhorias a partir do uso do biodiesel como forma de energia e criar metas para os próximos eventos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: