58 – Um reitor bacana

Para o Saci, um reitor bacana é o que tem um conjunto de princípios articulados… Ou seja, que sabe que só algumas peças podem se encaixar em outras… (Clique na foto para ampliá-la).

E (3).

.

u concordo com o meu amigo Saci. Tem candidato por aí, na esfera da política partidária, que adora fazer discursos genéricos como o de “acabar com a pobreza”, “envidar esforços para melhorar a educação”, “aumentar o número de empregos”, “garantir mais refeições diárias” e outras figuras de retórica que não passam  de deslavada enrolação para enganar as pessoas de boa-fé.

No âmbito da Universidade Pública, muitos candidatos a reitor decoram frases que abordam entusiasticamente o “tripé ensino-pesquisa-extensão” ou que falam de “autonomia” ou, ainda, “de parceria com a sociedade” etc. Tudo isolado, fragmentado, mágico. No contexto atual, por exemplo, a peça da “autonomia” jamais se encaixaria na peça do “Reuni”… Ainda assim, alguns insistem em dizer o contrário… E o mesmo pode ser dito em relação a outras peças que, simplesmente, contrariam qualquer lógica da combinação ou do encaixe.

Tome, o leitor, o exemplo da Petrobras atual ou, como o Saci costuma dizer, a “Petrodeles”, isto é, dos acionistas internacionais, que só querem faturar com o preço dos combustíveis lá nas alturas. É só eles que ganham,  e em prejuízo da maioria do povo brasileiro. No Brasil, o preço da gasolina é o maior de toda a América do Sul e um dos maiores do mundo.

Ora, que implicação teria, para a maioria do segmento popular, o preço  mais barato dos combustíveis?

A resposta é quase óbvia: transportes mais baratos desencadeando preços mais em conta na linha de produção, na redução do preço da matéria prima, assim como do alimento, do custo de vida, enfim, assegurando a  melhoria do bem-estar social e da qualidade de vida de toda a população. Assim, raciocinando por contraste, o adubo do mercado que nutre a “Petrodeles”, só faz definhar  a “Petronossa” ou a Petrobras que queremos.

Em razão disso, o meu amigo Saci se debruçou na invenção de um quebra-cabeça, com o propósito de  checar o candidato que tem melhor condição de montá-lo sem tapeação. Todos os pleiteantes da Casa Grande da Reitoria receberão, segundo ele, uma caixinha com o engenhoso jogo.

Quem o montar com sinceridade e competência já tem meio caminho andado para ser um reitor bacana – magnífico de fato –  diferente de um subserviente reitor banana, ou laranja, do pomar do MEC, disposto a olhar apenas para o seu próprio umbigo.

A “boa intenção” de alguns candidatos a reitor não é suficiente para fazer encaixar algumas peças do quebra-cabeça…

Anúncios

3 Respostas to “58 – Um reitor bacana”

  1. José Tavares-Neto Says:

    SACI,

    A/C: Prof. Menandro

    Você é um gênio!

    Não obstante, esqueceu no seu quebra-cabeça alguns valores: Ética, Transparência, Gestão Profissional e Humanizada; Experiência acadêmica; … ; e também metas: qualidade do ensino, assistência estudantil, boas condições de trabalho, ….

    Ou seja, quando completo o quebra-cabeça: avise à Comunidade da UFBA.

    Saudações acadêmicas bicentenárias,

    José Tavares-Neto
    Medicina (FMB)/UFBA

  2. osaciperere Says:

    Pois é Prof. Tavares-Neto, o chefe é mesmo um porre! E bote porre nisso!!!

    Fica me dando pressa, dizendo que alguém tem que trabalhar nesta casa, que não pode ficar o tempo todo enterrado no meu blog… Essas coisas todas… Às vezes, me dá vontade de voltar para o meu bambuzal, lá nos fundos da Faculdade de Educação.

    Já insisti com ele para ir trabalhar e me deixar administrando sozinho o site, mas ele tem medo de eu fazer alguma besteira e “sobrar pra ele”, já que não pertenço ao quadro da UFBA. E, como ele diz, sou inimputável.

    O senhor tem razão quanto à incompletude das peças apresentadas, mas os fragmentos com o meu rosto constituem uma espécie de “coringa narcísico” indicando que muitos e muitos itens ainda podem ser acrescentados, inclusive os que o senhor tão bem mencionou. Na verdade, ser fôssemos colocar todos os “tijolinhos” fundamentais para o quebra-cabeça sócio-politico-econômico do design da nossa construção, um mega-monitor do tamanho de um outdoor duplo seria pequeno…

    Quanto à Ética, julguei não carecer explicitar, por se tratar de uma peça pétrea.

    Agradeço-lhe imensamente por visitar e contribuir com o meu blog.

    Atenciosamente,
    Saci-Pererê de Tal

  3. altino Says:

    OLÁ,
    na linha do Tavares Neto e do Menandro seria interessante os professores não só esperarem/aguardarem as propostas dos candidatos mas organizarem e encaminharem as suas.
    Formularem uma PAUTA que pode ser organizada por itens: política, acadêmico, administrativo/gerencial etc. Plano interno e externo….
    Incluir a Estatuinte (será que algum a abraça?); o Orçamento Participativo , será que vai ser implantado na UFBA?
    Pode-se iniciar a discussão dessas e outras idéias no proximo dia 10, às 14 horas na Faculdade de Arquitetura quando acontecerá o primeiro debate dos REITORÁVEIS em uma iniciativa da Oposição à direção da APUB na UFBA.
    Saudações,
    altino

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: