582 – A greve da UFBA é legal?

Fácil explicar, Colega! é MOLEZA PURA!

.
Vejamos, sem muitas firulas:

.
 1. Queiram ou não, a APUB é seção do ANDES-SN. A APUB tentou se desligar do ANDES-SN através de plebiscito. Ora, através de recurso do Prof. Francisco Santana, que alegou vícios e equivocos no processo eleitora, a Justiça do Trabalho deu ganho de causa ao aludido professor. Asssim, o tal plebiscito está sub judice.
2. E, nesse caso, a APUB não pode ficar como a “mãe de São Pedro”, como se diz popularmente para fazer referência a quem não está em lugar algum.
3. Logo, a APUB para existir precisa estar em algum lugar.
4. Se esse lugar não pode ser o Proifes, que não tem registro sindical, pois a Lei maior que nos rege o proibe (Art. 8, inc. II da Constituição Federal de 88), certamente, a única alternativa é ser fração do ANDES – Sindicato Nacional.
5. Ser frsçâo é ser seção. Assim, a APUB é seção sindical do ANDES-SN.
6. O ANDES-SN, ouvindo suas seções, decidiu pela greve como recurso de pressionar o governo a cumprir o acordo referente à reestruturação da carreira docente.
7. A direção da APUB, indiferente à luta dos docentes da IFES (Instituições Federais de Ensino Superior) marcou uma assembleia para tratar, entre outros pontos pautados, da aquisição de uma sede própria. O sinheiro não repassado ao ANDES-SN, foi rendendo, rendendo em alguma aplicação financeira do mercado capitalista…
8. A base organizada, após anos de marasmo, votou a mudança da pauta. Pautou-se, então, um único ponto, para votar pela aceitação ou recusa da greve, seguindo o exemplo de mais de quatro dezenas de seções sindicais do ANDES-SN.
7. Por 119 votos contra 19 venceu a proposição que defendia a greve por tempo indeterminado.
9. Diretores inconformados espernearam e tentam confundir a população informando que haverá ainda um “plebiscito”, o que é uma grande ignorância, pois, se fosse o caso, seria um “referendo”, para referendar o decidido. Besteira pura, pois esse entulho autoritário não tem amparo constitucional (vide Art. 9 da Constituição brasileira).
10. Elementar, meu Caro Ronan! A greve dos docentes da UFBA é legal, pois tem amparo constitucional; a greve da UFBA é legítima, pois foi legitimada pelos votos da maioria dos presentes votantes na Assembleia legal e legítima, oriunda de fração do ANDES-SN, que é legal e da participação coletiva, que é legítima.
————
BONUS TRACK:
11. Azar de quem não foi votar. São essas as regras do jogo democrático. Azar nos governistas que tripudiaram da força da base.
Atenciosamente,
Menandro Ramos FACED/UFBA

Quoting ronan@ufba.br:

A APUB-sindicato está sendo considerada ilegal e sem autoridade para  representar os docentes da UFBA. A Assembléia do dia 29 de maio de  2012 foi convocada por essa mesma APUB-Sindicato que está sendo  considerada ilegal. A Assembléia foi legal? Ou foi legítima? Ilegal, porque foi convocada por uma entidade considerada ilegal. Legítima? sim, porque congregou um número expressivo de docentes que durante a  tarde daquele dia debateu livre e democraticamente os seus pontos de  vista. Agora, essa mesma APUB-Sindicato que está sendo considerada ilegal convoca um plebiscito para os dias 5 e 6 de junho de 2012,  para referendar o que foi decidido naquela Assembléia ilegal, mas  legítima, essa convocação agora é ilegal ou legítima?
Peço aos meus colegas filósofos e matemáticos que ajudem a resolver  esse paradoxo.
Ronan
Instituto de Biologia da Ufba
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: