598 – A defenestração da diretoria da APUB

.

.

edi respeito ao debochado do Saci para com a diretoria da APUB. Disse-lhe que, por enquanto, ela ainda continuava à frente da seção sindical do ANDES-SN. Bem ou mal, ela continuava com o bastão do comando. Resisti em estimular, no seu Blog, uma defenestração sumária como ele queria. Para o pestinha eu estava complacente com os “inquilinos atuais da casinha da Rua Padre Feijó”.

Diante da recusa dos diretores em publicar a decisão da Justiça do Trabalho que anula o tal plebiscito, ele mostrou-se muito impaciente, achando que esperar mais para praticar uma “defenestração na troupe” era um enorme despautério. Apressadinho, pensou em fazer o registro da defenestração com muita arte e glamour. Segundo ele, os artistas sempre estão presentes nessas horas. Para me convencer, citou Louis David, que na Revolução Francesa fez o desenho de Maria Antonieta, antes de sua cabeça rolar pela “Guilhotina Nacional”, em 1793. Claro que não aprovei tal violência, ainda que simbólica, mas ele fez pouco caso das minhas considerações e começou, desesperadamente, a rolar o mouse do meu computador, não sem antes de dizer que “violência era o que a diretoria vinha fazendo com a categoria”. Disse ainda que “a maior prova viva fora o plebiscito fraudulento”. Ainda assim, não me dei por vencido e não liberei as páginas do seu Blog para suas artes debochadas e arrelientas. Afinal, eu tinha responsabilidades!…

Mas a Terra rodopiou soltinha no espaço, sustentada apenas pelo seu chamego com o Sol.

De forma que, pouco depois de o capetinha me falar sobre aquelas coisas, recebi uma mensagem do Prof. Aníbal, da Politécnica/UFBA, manifestando-se preocupado com o destino do nosso rico dinheirinho controlado pela diretoria da APUB. Diante da possibilidade de vê-lo sendo gasto pela CUT, conforme ele informou, para deflagrar nacionalmente uma campanha em favor dos mensaleiros, senti um rubor quente invadir-me o rosto. O Saci, fingindo-se de estátua, hirto que nem poste em dia sem vento, não me disse nada. Apenas ajeitou-se discretamente na sua cadeira predileta de três pés. Se eu não o conhecesse, diria que era uma daquelas esculturas hiperrealistas  do australiano Ron Mueck. Só seus olhos gargalhavam, como me dizendo – sem nada dizer! -, “não falei?! “.

Meio envergonhado pela minha ingenuidade e lerdeza, tratei logo de publicar sua arte alegórica premonitória e os escritos do atento Prof. Luiz Aníbal.

Agora, a pressa era minha!…

***********************

Caros,
visto de relance, parece que o link a seguir não tem relação com nosso movimento. Individualmente, não penso dessa forma. Eu o disponibilizo para algum colega interessado: AQUI

O fato é que não me agrada nem um pouco vir a saber que minha contribuição mensal à APUB esteja abastecendo os cofres da CUT, por decisão da minoria “minimum minimorum” representada pelos pelegos PROIFISSENSES que estão sendo defenestrados da APUB pelo movimento que explodiu na UFBA (e, de resto, na quase totalidade das universidades públicas brasileiras).

Observe-se que, ao final, a decisão da justiça prevalecerá e a APUB continuará vinculada à ANDES, como sempre deveria ter sido considerado. A ANDES terá todo o direito de exigir de volta as contribuições que a direção proifissense da APUB vem canalisando à 8/9 anos para o PROIFES/CUT. Quero saber quem, quando e como pagará essa conta; já basta os rombos não explicados do Apub Saúde que, ao final, tivemos que engolir.

Coloco tal questão,  nesse momento e em AVANÇO, pelo fato dos dirigentes da CUT estarem se insinuando em defender “NAS RUAS” os responsáveis pelo MENSALÃO. Isso é para mim o máximo de degradação: financiar, via APUB/PROIFES/CUT a defesa dos mensaleiros.

Só suportaria isso por ORDEM de Jesus Cristo, pois, se ele não ordenar, eu lhe pedirei licença para questionar.


Todos merecem JUSTIÇA, inclusive os mensaleiros. Que ela aflore plena e vistosa.

Luiz Anibal 
DCTM / EP – UFBA

Anúncios

Uma resposta to “598 – A defenestração da diretoria da APUB”

  1. Francisco Santana Says:

    Por falar em mensalão, eu juro que ví na época uma cueca cheia de dólares dentro apreendida com o portador pela PF no aeroporto.

    Eu juro que ví malas abertas com milhões dentro. Nunca tinha visto tudo isso em época alguma, em governo algum,… Só tinha visto isso em filmes de gangsteres americanos.

    Eu juro que ví as secretárias de bancos de Marcos Valérios descrever na CPI como eram pagas as propinas aos deputados, acondicionadas em sacolas de papel.

    Eu juro que ví Duda Mendonça declarar que o PT devia a ele 12 milhões e que pediu a ele para abrir conta nas bahamas para revceber por lá pois estava difícil lavar o dinheiro.

    Eu ví Roberto Jeferson fazer declaraçoes no mesmo sentido.

    E Lula diz que não houve mensalão?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: