688 – Wagner e Neto: a Era das Certezas

batman-e-robin

Enquanto os foliões se jogam tranquilos nos braços de Momo, os Zerois da Resistência – agora parceiros de batente -, velam pela segurança midiática da Old City. E, para que não se diga que está instalada a ditadura do pensamento único em favor do capital (não confundir com “a capital”), dir-se-á da pluralidade do gosto pela marca do whisky…

.

Menandro Ramos
Prof. da FACED/UFBA

D.

.

iferente do que escreveu o historiador anglo-egípcio Eric Hobsbawm em carnavais pretéritos, para o Saci, estamos entrando na Era das Certezas. Com a dupla dos atuais gestores dos negócios da Bahia, tem-se a certeza de que os bens da cultura local logo, logo, sob o patrocínio do Estado da Bahia e do Município de Salvador, estarão virando mercadoria rentável nas mão dos astutos artistas-empresários da Boa Terra. Claro, como não podia deixar de ser, gerando muito subemprego e bastante mais-valia, que ninguém é besta.

Com Wagner, a certeza de que a educação continuará marcando passo e a saúde, idem; com Wagner, agora parceiro de Neto nos negócios da Bahia, a certeza de que a mídia dos Magalhães atenuará os números gritantes da violência, e a certeza de que o Carnaval se transformará numa celebração ecumênica da Paz e do Amor na telinha dócil… Com Wagner e Neto a certeza de que, na História da Bahia, a máscara nunca foi tão prestigiada!…

Para o Saci, na política com p minúsculo, tem-se a certeza de duas forças poderosas: a força inflexível da volumosa grana dos empresários para o financiamento das campanhas milionárias e a força serena do voto das massas ávidas por pão e circo. Afora essas duas forças, só a força do controle tecnológico das urnas eletrônicas.

Para ambos os alcaides, operadores maiores dos negócios do Estado da Bahia e de sua old cap, essas certezas são tão certas quão certo o sol alumiará a Bahia de Todos os Santos durante os verões vindouros.

Dessas mesmas certezas partilha melancólico o meu amigo de gorro vermelho e pito, ao som dos pungentes e belos acordes da guitarra baiana, arranhados por algum menestrel maldito bêbedo:

Triste Bahia! Hilária Bahia! Oh, quanta semelhança agora do PT com o DEM!

Anúncios

Uma resposta to “688 – Wagner e Neto: a Era das Certezas”

  1. Augusto Minervino Says:

    O atual governador enterrou qualquer pálido, esboço, retorno futuro ao governo da Bahia, mesmo com a provável infeliz reeleição de Dilma em 2014, este senhor será agraciado com um dos muitos ministérios. Quanto a ACM Neto, prefiro acreditar que são necessários engolir alguns sapos em benefício do coletivo. Att: Augusto Minervino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: