766 – Gabeira: flores aos mortos

.

Para o Saci, as reflexões de Gabeira ajudam a entender os que já se foram... do munda da ética .

Para o Saci, as reflexões de Gabeira ajudam a entender os que já se foram… do munda da Ética e da Política com pê maiúsculo.

s.

empre que os fatos ganham  velocidade, costumo comprar  um bloco de notas. Anoto frases,  ideias, intuições e deixo que se decantem com o tempo. Volto a elas,  depois, para rejeitá-las ou desenvolvê-las. A primeira frase que me  veio à cabeça foi a da vendedora  de flores que encerra um filme.
O pequeno bloco também tem  ideias. Por exemplo: comparar a  ditadura com o governo Lula.  Uma neutralizou o Congresso pelo  medo; o outro, pelo pagamento de  mesada. Ditadura e governo Lula  compartilham o mesmo desprezo  pela democracia, ambos violentaram a democracia reduzindo o  Parlamento a uma ruína moral. (Leia mais AQUI).

Anúncios

3 Respostas to “766 – Gabeira: flores aos mortos”

  1. Raquel Bezerra Says:

    Não entendi, Menandro. Esse artigo é de 2005…

    • Saci-Pererê Says:

      Pois é, Profa. Raquel. Eu também não entendi essa ressurreição que o Saci fez de um texto de sete anos, segundo alguns petistas, superadíssimo! Para ele, entretanto, precisamos reunir todos os cacos dos ditos e ocorridos para uma construção histórica mais vigorosa. Vá entender a cabeça desse pestinha abusado… Vá entender!

  2. Francisco Santana Says:

    Em 2005 foi a CPI do mensalão. E com certeza o Gabeira acompanhando o processo de se tentar esvasiar a CPI feito pela tropa de Choque do PT e aliados e outros acordos espúrios deve ter-se indignado.

    Mas eu acho que ele demorou até de perceber o que o PT representava de fato. Ele foi até muito crente, pois eu, desde 1994, já qualificava o PT e a CUT como um movimento fascista. Não tive portnto nenhuma surpresa com os acontecimentos a partir de 2003.

    Segue abaixo o meu artigo que foi publicado na época, na Tribuna da Imprensa, Estadão, Tribuna da Bahia (neste com direito a uma charge). Hoje eu reescreveria o mesmo artigo fazendo uma diferença entre o PT e Lula; o PT continuava um movimento fascista à Mussoline, mas Lula seria um Hitler, não chegaria aos pés de Mussoline. Se alguém quiser saber eu explico.

    Ssegue o artigo de 1994. Por que os doutos sociólogos não previram isso? Segundo Marx, a diferença entre o Homem e um ser irracional é a capacidade de prever. O Artigo:

    FASCISMOS

    Recentemente (24/03/94), Orestes Quércia afirmou na TV que o PT é de fato um partido de direita com discurso de esquerda. Uma reedição de Mussolini no Brasil. Realmente o Sr. Orestes Quércia está pleno de razão, mas fica difícil à maioria das pessoas entenderem isso se se associar somente ao fascismo o aspecto ditatorial. Dentro desse aspecto, o assassinato do ABC que revelou as práticas intolerantes do PT no mundo sindical, a punição de Erundina e outros métodos de eliminar concorrentes na luta pela hegemonia do partido, tentativa de cercear opiniões divergentes através de métodos intimidativos, chantagear parlamentares revelando seus extratos bancários à margem da lei, etc. São ainda insuficientes para caracterizar o PT como fascista. Para se entender o que é fascismo temos que recorrer ao grande filósofo Palmiro Togliatti. Segundo ele, quem tentar caracterizar o fascismo pelas suas formas concretas de ação, erra sempre, pois O FASCISMO É UM CAMALEÃO que muda de forma constantemente em função de determinado objetivo imediato. O que caracteriza a essência do fascismo é a sua identidade com os interesses da fração hegemônica do grande capital financeiro, o mais oligopolizado e reacionário portanto. Se quiser entender a forma concreta que o partido fascista assume em determinado momento, é só relacioná-la com os objetivos imediatos do grande capital financeiro naquele momento. Assim, Mussolini, que era ultra esquerdista saiu do partido socialista unindo-se aos intelectuais “futuristas” ( o futurismo tem fortes semelhanças com o modernismo e o tropicalismo no Brasil), para fundar o Partido Fascista, que inicialmente tinha fortes tendências liberais com lemas típicos da pequena burguesia intelectual que queria se emancipar, tais como, “NAVEGAR É PRECISO, VIVER NÃO É PRECISO”, “NE ME FREGO” (POUCO SE ME DÁ) e outros de mesmo cunho ideológico de “SEM MEDO DE SER FELIZ”. D’Annunzio usava um bottom com o lema “NAVEGAR É PRECISO… e Mussolini o subscrevia nos documentos que assinava. Pode-se dizer que o Partido Fascista italiano, alternando formas liberais e ditatoriais em função do espaço (região) e do tempo (época), foi predominantemente liberal de 1919 à 1925. A partir de 1925, já no poder, o Partido Fascista foi predominantemente ditatorial e aplicou o terror do estado, semelhantemente ao PT quando conquista a máquina do Sindicato e a usa como terror para aplastar seus dissidentes, particularmente os comunistas (vide episódio do ABC e outros). Usemos o critério de Togliatti para entender as semelhanças e diferenças entre o fascismo europeu de 1918 a 1945 e o fascismo no Brasil atual. Semelhantemente ao fascismo italiano o PT precisa liderar camadas da população as mais diversas, como o lúmpem, classe média, classe operária não proletária, etc. para merecer as benesses do grande capital. Daí o ecletismo camaleônico do discurso e programa do PT. Quando o grande capital radicaliza, cai a máscara desse discurso demagógico e começam os expurgos e o aplastamento das tendências à esquerda do partido. As diferenças surgem em função dos objetivos do grande capital financeiro na Europa naquela época serem diversos dos seus objetivos no Brasil de hoje. Naquela época o grande capital financeiro tinha como objetivo lógico final uma santa cruzada contra o comunismo, inclusive no seu santuário, a URSS; daí forjar líderes heróico-trágicos e nacionalismos exacerbados imperialistas, para cumprir esses objetivos. Já para o Brasil de hoje, a lógica do grande capital financeiro reserva uma política de destruição do estado nacional, sucateamento da nossa indústria, internacionalização da AMAZONIA, destruição do mercado interno e de nossa força de trabalho, etc., o que exige lideranças fascistas de outro tipo, demagógico, eclético, oportunista, apátrida, capaz de camuflar seu antipatriotismo com doutrinas da moda fabricadas nos países colonialistas para consumo das elites travestidas de esquerda, alienadas, do terceiro mundo. O PT satisfaz os dois critérios básicos de Togliatti, o mimetismo camaleônico (à vista de todos) e a fidelidade ao grande capital internacional; quanto a este último basta fazer a pergunta: quem financia o PT? e saberemos com a resposta a quem serve o PT. Outras evidências ilustram essa tese, mas como o espaço é curto, deixo para outro momento decliná-las, completando esse artigo sobre fascismo. Não sei se o Sr. Orestes Quércia tinha essa visão quando afirmou que o PT representava o fascismo no Brasil. Mas que ele acertou na mosca, acertou.

    Francisco José Duarte de Santana

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: