81 – O segredo da pirâmide

 

Saci e seu amigo Menandro

Como Michelangelo Buonarroti que pintou a Capela Sistina para cristãos que não sabiam ler, a ideia do Saci é pintar muitas charges, para a UFBA que tem horror à leitura. Mas isso é ele quem diz... Eu discordo.

 .

ara o Saci, o resultado das eleições de reitor da UFBA é intergiversável. Furacões, terremotos, tsunami, 11 de setembro, queda do Muro de Wall Street, pancadaria na Grécia, mensalões, violência urbana, desemprego, dinheiro na cueca e na meia, saúde pública caótica na Bahia, árvores caídas, incêndios, violência nos campi, invasão da reitoria da UFBA pela PF, corte das horas extras, RU de R$ 5,50 – etc-etc-etc -, nada abala o trono do Rei. E, ainda por cima, Deus salva a Rainha.

O tempo é de esquerda light. É tempo de refletir!…

Anúncios

Uma resposta to “81 – O segredo da pirâmide”

  1. altino bomfim Says:

    O QUE ROLA NAS OUTRAS ADS!
    ESTAMOS EM OUTRO MUNDO?
    Abre-se o Informativo ADUSP (www.adusp.org.br) e consta:
    – debate sobre Previdência e Carreira Docente;
    – debate e vídeo sobre Produtivismo;
    – debate sobre EaD;
    – LDO 2010;
    – o problema das Fundações
    – Eleições de delegados ao Conclat
    – Campanha salarial
    Produtivismo tem efeitos colaterais
    O cotidiano do nosso trabalho na Universidade tem se mostrado cada vez mais fatigante. A todo momento, somos instados a mostrar quem somos e do que somos capazes.Vivenciamos a sensação de estar sempre aquém das exigências; e cada vez mais nos tornamos gerenciadores das parcas verbas para pesquisa.
    Nesse contexto, ficam em segundo plano as atividades de ensino e extensão, ganhando prioridade as pesquisas que nos conduzam a muitos artigos publicados em curto espaço de tempo e em revistas pré-selecionadas. Cada vez mais trabalhamos de modo isolado, lutando e competindo por recursos, publicações, estudantes de pós-graduação e iniciação científica, que se engajem o mais rapidamente possível nos trabalhos de pesquisa para, assim, gerarem mais teses, mais artigos, contribuindo para uma melhor avaliação da Capes, para então garantir novos financiamentos… e, ufa!, assim vamos nós.
    Sentimos os reflexos desse dia-a-dia em nosso humor, na nossa saúde, na capacidade de reflexão acerca da nossa formação contínua como docentes e da formação de nossos alunos.
    Certamente essa realidade não se coaduna com a idéia, enraizada em muitos de nós, de que a universidade deva promover a formação ampla e sólida de seus estudantes, a reflexão mais aprofundada e crítica sobre as pesquisas realizadas e a transferência desses conhecimentos à sociedade, visando contribuir para a melhoria das condições de vida e trabalho de toda a população.
    É assim que queremos trabalhar? É assim que queremos viver?
    Coletamos alguns textos que abordam essas questões e podem contribuir para nos ajudar a, quem sabe, construir um outro modo de trabalho e convivência na Universidade.
    Abaixo, os links para os textos e o vídeo do debate realizado em 11 de março de 2010.
    Diretoria da Adusp

    Vídeo do debate “Produtivismo: a que veio? a quem serve?

    Textos que abordam a questão e podem contribuir para, quem sabe, construir um outro modo de trabalho e convivência na Universidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: