1177 – Resposta à deputada Alice Portugal

.

E.

.

ste Blog teve a honra de receber a ilustre visita da ínclita deputada Alice Portugal, do PCdoB. Além de ter publicado um comentário no espaço da postagem intitulada “Quero Você“, em que ela teve o seu nome mencionado como sendo a 18ª. deputada federal mais rica da Bahia – numa lista de 39 parlamentares baianos, ou dos nossos representantes na Câmara Federal, de acordo com uma matéria publicada pelo  jornal A Tarde, de Salvador -,  ela teve também a delicadeza de nos enviar, com o mesmo conteúdo postado, uma mensagem para o nosso e-mail pessoal, contestando o imponente ranking de  status financeiro divulgado, embora não tenha esclarecido qual a verdadeira posição que ocupa. O que, aliás, não tem a menor importância. Achamos por bem respondê-la parágrafo por parágrafo, com o propósito de nada esquecer, e também com a intenção de sermos didáticos, como quase todo professor procura ser, destacando o seu texto com a cor magenta, para facilitar a sua visualização, e para prestar (por que não?) uma singela homenagem ao “Outubro Rosa”.

.

alice-portugalHoje, dia em que comemoramos o Dia do Professor, tomei conhecimento de que Vossa Senhoria teria publicado em um blog, do qual se apresenta como “assessor”, um texto contendo comentários maldosos e irônicos contra mim. Soube que tal texto teria sido enviado a uma longa lista de endereços eletrônicos da Universidade Federal da Bahia.

De fato, Exma. Deputada Alice Portugal, sou o modesto assessor do Blog do Saci-Pererê da UFBA, um endiabrado amigo que, às vezes, me tira do sério. Brincando, brincando, já são mais de cinco anos de conflituosa e alegre convivência, com mais de mil charges publicadas no referido blog e bem mais de o dobro disso em postagens outras, além de cerca de 260 mil visitas de, aproximadamente, 90 países. Devo esclarecer que o referido Blog surgiu a partir das sistemáticas censuras que as nossas mensagens passaram a sofrer da parte da diretoria proificista da APUB. Proificista, para ser didático, como qualquer professor – insisto -, é um neologismo oriundo do acrônimo “Proifes”.  Caso V. Excia. não tenha conhecimento, durante a contrarreforma da Previdência do governo Lula, o Andes-SN posicionou-se contrário a ela, por entender que o trabalhador brasileiro seria sobremaneira prejudicado. A partir daí, Lula estimulou e nutriu um grupo de pelegos vendedores de pátria a criar essa entidade chamada de Proifes, que se intitula fantasiosamente de “sindicato”, mesmo não dispondo de registro legal. Como os oportunistas vicejam em todo lugar, a semente do Proifes acabou caindo no solo da APUB, e a UFBA, lamentavelmente, conheceu também a malfalada erva daninha. Salvo engano, recentemente V. Excia. foi convidada a falar para os aposentados sobre questões ligadas à aposentadoria dos professores das IFES.

A respeito desse evento, soubemos, mas não acreditamos, pelo menos na parte que tange à V. Exª. , que, na verdade, não passou de uma armação de diretores da APUB para angariar votos dos aposentados, de olho que estão na próxima eleição da próxima diretoria, que ocorrerá no final do ano. Mentes maldosas asseguraram que a nobre parlamentar estaria aproveitando o ensejo para pedir votos no local, aliás, que seria legítimo. Recuso-me, entretanto, em acreditar em tais insinuações que reputo como grosseiras e torpes, dado o espírito largo da insigne parlamentar. Sei que o intuito foi tão somente para esclarecer a colegas tão injustiçado pelo presente governo e por outros em tempos pretéritos.

Quanto ao termo “maldosos” que V. Excia. usa, sugiro que seja  substituído por “críticos”. A menos que V. Excia. entenda a palavra “crítica” como sinônimo de maldade. Nesse caso, não tenho o que comentar. No que diz respeito ao termo “irônicos”, nós o assumimos, pois este Blog abraça a ironia como sendo uma das múltiplas possibilidades do expressar humano.

alice-portugalEsta informação despertou minha curiosidade e fui até o blog  “osaciperere.wordpress.com” para me inteirar do conteúdo da publicação de Vossa Senhoria.

Fiquei orgulhoso em receber uma visita tão nobre e tão ilustre. Pensei até em mandar confeccionar uma placa virtual mencionando a visita de V. Exª. a este singelo repositório de insurgências em favor do trabalhador, da Universidades Pública, Democrática, Laica, Gratuita e referenciada no social. Apareça mais vezes, deputada!

alice-portugalDeparei-me com um texto jocoso, no qual o ilustre professor faz inferências caluniosas sobre meu suposto patrimônio, tomando por base tabela divulgada pelo diário “A Tarde”, que por sua vez foi buscar as informações nas declarações de renda apresentadas pelos candidatos à Justiça Eleitoral.

Permita-me confessar a V. Exª. que a minha pretensão era apenas mostrar a minha tristeza diante do fato de uma parlamentar de um partido dito comunista estar na décima oitava posição dos deputados federais mais ricos do Estado da Bahia, numa lista de 39. O que seria, portanto, inadequada a menção de “texto jocoso” por V. Exª., se por “jocoso” entendermos como sinônimo de “gracioso”, “alegre”, “jubiloso”, “satisfeito”, “risonho”, “prazeroso”, “ridente”, “divertido”, “sorridente”, “jovial”, “contente”, “hílare” e por aí vai.

Apesar de a ínclita deputada não esclarecer qual a posição que ocupa no ranking das fortunas parlamentares, contento-me  em saber, conforme afirmou, que só dispõe de uma honrada e modesta moradia, fruto de trabalho honesto. A meu ver, isso é suficiente para merecer os mais sinceros aplausos da nossa parte.

alice-portugalAlém de informar a Vossa Senhoria sobre o pedido de retificação que fiz ao jornal “A Tarde”, quero fazer algumas considerações sobre sua publicação e sobre o juízo de valor que o ilustre professor fez desta deputada.

Tão logo o jornal A Tarde faça a justa retificação, terei o maior prazer em divulgá-la neste modesto blog do meu amigo vermelho e pito. Quanto ao juízo de valor mencionado, eu o faço através das informações que recebo dos Meios de Comunicação. O Blog do Saci-Pererê não inventa notícias. Tanto assim que citamos sempre a fonte recorrida. O máximo que pode acontecer é colocarmos uma lupa para que leitores, com problema de miopia, possam ler o real com mais acuidade.

Concordo com V. Exª. quando diz que a mídia tem partido. Conheço-a de perto pois trabalhei numa empresa jornalística por mais de uma década. Aliás, foi nessa mesma empresa  (jornal A Tarde) que tive o prazer de conhecer de perto V. Exª. Não me lembro exatamente qual o motivo que levou V. Excia. à redação do referido jornal. O certo é que, nesse mesmo dia, tive o prazer de cumprimentar V. Exª. É bem verdade que já a conhecia de nome, e já a admirava bastante através de fotos e fatos sabidos através da própria imprensa, tanto pela simpatia física quanto pela militância que exercia na UFBA e outros espaços de insurgência. Não é exagero dizer que, de forma romântica, enxerguei em V. Exª. uma espécie de Anita Garibaldi, de Rosa Luxemburgo… Coisa da juventude sonhadora.

alice-portugalÉ no mínimo estranho que um professor que se diz de esquerda e se apresenta como defensor de altos valores morais e éticos dê total credibilidade a uma matéria publicada na grande imprensa e passe a fazer insinuações sobre o patrimônio de uma deputada reconhecida em toda a Bahia por sua defesa de bandeiras que não fazem parte da pauta abraçada pela grande imprensa.

Se “ser esquerda” for pugnar pelo triunfo do trabalho sobre o capital, eu o sou. Como corolário, atrelo os meus valores éticos e morais à causa do trabalhador como referência maior. Quanto a dar ou não crédito ao que noticiam os “grandes jornais”, devo dizer, inicialmente, que há de se processar de alguma forma a informação que recebemos de algum lugar, de alguma fonte. Até que essa informação se converta em conhecimento de fato, o caminho é longo. É bom não esquecer que a cognição humana se dá por aproximação e que é sempre lacunar. Lembro a V. Excia. que todos os escândalos que chegaram até o povo brasileiro, o caminho foi através da imprensa: “Caso Sivam de FHC”, “Violação do Painel do Senado”, “Anões do Orçamento”, “Cartel das Licitações do Metrô de São Paulo”, “Privataria Tucana”, “Mensalão Tucano”, “Mensalão do DEM”, “Mensalão Petista”, “Valerioduto”,  “Dólar na Cueca”, “Cocaína do Helicóptero de Perrella”, “Petrolão”, “Aeroporto de Cláudio (e de Aécio), só para lembrar alguns. E, para o bem ou para o mal, esses escândalos foram denunciados pela grande imprensa, incluindo aí jornais e revistas de grande tiragem. Se alguns não foram devidamente apurados, creio que a imprensa não tem nenhuma responsabilidade sobre esse fato. Não tenho nenhuma procuração para defender a mídia burguesa. Sei que ela defende seus próprios interesses, sobretudo de acumulação de fortuna, de poder, e de influência, e que, na maioria das vezes, não dizem respeito aos interesses do  trabalhador, embora a contradição do real se instale sempre, permitindo que alguns sobejos resvalem em benefício da classe trabalhadora. Mas não me iludo com ela. Sei também que, quando o governo – inclusive o governo petista -,  se dispõe a pagá-la, prontamente ela se coloca a seu dispor. Aliás, é bom que se diga, que não é pouco o que o governo destina à propaganda, com o rico dinheirinho do contribuinte. Quem poderia dizer, com exatidão, o quanto o governo Wagner destinou para a conta bancária da família Magalhães pelo uso da TV Bahia? A ínclita deputada tem acesso a essas cifras?

alice-portugalCaso todos tivessem a mesma postura do ilustre professor, tomariam como verdade absoluta as acusações que recentemente fizeram os grandes jornais e as televisões contra militantes do Psol e do PSTU que participavam de manifestações em São Paulo e Rio de Janeiro, atribuindo-lhes crimes de vandalismo, formação de quadrilha, porte de explosivos, incitação ao crime etc.. Não penso desta forma, conheço bem os barões da mídia brasileira.

Esclareço à nobre deputada que não sou filiado a nenhum partido, embora tenha um grande respeito pelos que abraçam radicalmente (no sentido de Marx) a causa socialista por assim dizer. Sem problema, declaro, aqui, meus candidatos no primeiro turno: Para presidente, votei em Zé Maria, e Renata Mallet, para governadora, ambos do PSTU. Os demais candidatos foram do PSOL. Sobre os “barões da mídia” já mencionei no parágrafo acima. Quanto ao candidato do segundo turno, nenhum dos dois me empolga. Tanto voto quanto prego o voto nulo. Ambos os candidatos são faces distintas da mesma moeda perversa que oprime e destrói o trabalhador, que nem sempre dispõe dos instrumentos teórico-críticos para operar o enfrentamento. Como já dizia o filósofo Marcuse, há casos em que o trabalhador [escravo], por faltar-lhe esses instrumentos, até beija as correntes que o agrilhoa. Parece-me que a realidade brasileira que estamos vivendo dá carradas de razão ao teórico frankfurtiano. O grande intelectual baiano Milton Santos dizia-se sem filiação partidária. Exatamente para não se submeter a quaisquer dogmas. Nas minhas modestas reflexões e tentativas de leitura do movimento do real, tento sempre seguir as lições do estimado Mestre…

alice-portugalA imprensa tem lado, todos nós sabemos. E há tempos trabalha unificada numa verdadeira campanha de criminalização da política, tentando vender como iguais os desiguais. Existem muitos que, por oportunismo e má fé, fazem coro a esta campanha sórdida, corroborando com as calúnias assacadas contra quem não reza por suas cartilhas. Acompanham os jornalões em sua marcha contra os governos progressistas de Lula, Dilma e Wagner, mas são especialmente condescendentes com os governos de direita como o de ACM Neto, em Salvador. Portam-se como a “esquerda que a direita gosta”, até porque, constumam ser aliados nos momentos de embates contra o PT e o PCdoB. Séculos atrás, em guerras passadas, gente desse tipo ficou conhecida e estigmatizada como “quinta coluna”, pelos serviços que sempre prestavam aos inimigos.

Desde Aristóteles que se sabe que o homem é um animal político. Para o bem ou para o mal é a política que vai pautar a vida na polis. Existem bons e maus políticos. Isso é indiscutível. Portanto, é insensato colocar os que  abraçam a “política profissional” no “mesmo saco”, como se costuma dizer de forma burlesca.   Por outro lado, é oportuna a lembrança de por V. Exª., da expressão “quinta coluna” que, por analogia, pode ser estendida a partidos e políticos que traem a causa do povo que os elegeu. A propósito, tanto ACM Neto, na Bahia, quanto Collor e Renan Filho, em Alagoas, foram apoiados pelo PCdoB, partido mencionado como “de esquerda”. Perguntaria à douta deputada em questões políticas: Os termos esquerda/direita ficaram démodé? Ainda que as brumas do tempo povoem as minhas lembranças, tenho vivas na memória as atitudes dignas dos parlamentares Babá, Luciana Genro, Heloísa Helena e João Fontes que preferiram a desfiliação ao PT do que continuar num partido que, através da “Reforma da Previdência”, atacava duramente as conquistas dos trabalhadores… Por que os outros combativos “de esquerda” preferiram ficar abrigados no grande guarda-chuva? Confesso à nobre deputada ter muitas limitações intelectuais que me dificultam a compreensão de certas situações do quadro político nacional.

alice-portugalAs referências irônicas que Vossa Senhoria faz sobre minha postura diante dos governos Lula, Dilma e Wagner, vaticinando textualmente que “O tempo fez murchar a bravura indômita da deputada”, decorrem da visão política do ilustre professor e de seu engajamento partidário, hoje mais próximo dos partidos do espectro direitista do que das agremiações partidárias progressistas e de esquerda. Quem vê com olhos deformados enxerga deformidade naquilo que não é espelho. Quem trabalha em aliança com a direita, passa a enxergar virtudes em conhecidos reacionários e inimigos do povo e defeitos nos que sempre se postaram ao lado da maioria da população, na defesa de seus direitos.

O Blog do Saci-Pererê é um ambiente virtual que tem por motor os eventos da polis – Urbis et Orbi. O humor, a ironia, a galhofa, o escracho – para expressar a nossa indignação de maneira multimídia  – fazem parte dos ingredientes aqui utilizados. A máxima “Ridendo castigat mores” (com o riso se castigam os costumes) atribuída a Molière, serve-nos de guia. Frases como a que transcrevemos a seguir, da lavra da colenda deputada “Quem vê com olhos deformados enxerga deformidade naquilo que não é espelho” desperta-nos, inevitavelmente a um histriônica gargalhada, data venia, uma vez nos ocorre incluir os titãs  Sarney, Collor, Renan, aliados do governo Lula e, por extensão, ao PCdoB, numa galeria revolucionária de nomes notáveis que se celebrizaram por posições anticapitalistas: Marx, Lênin, Trotsky, Rosa Luxemburgo, Guevara, Prestes, Marighella, entre outros.

alice-portugalAo longo de minha vida parlamentar jamais tive meu nome envolvido em qualquer escândalo ou em qualquer episódio que manche minha história de lutas. Pelo contrário, sou sempre das primeiras a denunciá-los e a exigir punições quando houver culpa comprovada. Tenho orgulho dos votos que dei em defesa da educação, do funcionalismo e contra a reforma da previdência, mesmo contrariando orientação do governo. Sou e continuarei sendo uma deputada vinculada às lutas da educação, do serviço público, da mulher, das liberdades e da democracia. É assim que me conhece a comunidade universitária da UFBA.

Atenciosamente,

Alice Portugal

Deputada Federal – PCdoB/BA

Transcrevo, como resposta,  excertos da postagem supra mencionada:

E aqui é bom frisar que o patrimônio da ilustre deputada não é, ao que se supõe, fruto de cambalachos, de subornos, de mensalões. É tudo “beleza pura” dentro dos conformes e da lei” […]. Evidentemente, não se pode compará-la  a tipos preconceituoso, homofóbicos, truculentos ou até mesmo “bobalhões espertos”   como os deputados Feliciano, Bolsonaro, a turma da bancada da bala, Tiririca, só para citar alguns. Isso não. O discurso da nobre parlamentar aludida é bastante progressista e aparentemente em defesa do trabalhador. 

Se não é verdade “que ela se tornou aliada do governo petista –  portanto parlamentar da situação” -, e se é possível remetê-la “aos primórdios da sua militância bonita e combativa”, então, não tem o menor sentido que nos manifestemos decepcionados com a lustre parlamentar. Tudo fica como antes, como se Cronos interrompesse a sua ampulheta.

Nesse caso, foi apenas uma ilusão de que o tempo fez murchar a bravura indômita da deputada. A nobre parlamentar, portanto, continua aguerrida como antes. Agora estou bem informado… Palmas para a excelentíssima parlamentar baiana!

Atenciosamente.

Menandro Ramos
Prof. da FACED/UFBA
e assessor do Blog do Saci-Pererê

————————————

P.S. A franqueza de V. Exª. para conosco, força-nos a retribuir com a mesma franqueza à ilustre missivista: além da postagem “Quero você”, em que a ínclita deputada é mencionada, existem outras com a ilustre parlamentar ao longo do Blog. A ferramenta de busca disponível no Blog pode ser de grande valia. É só usar como palavra-chave o nome da própria deputada.

————————————-

.

CHE-COLLOR-DAS-ALAGOAS

 

 

 

 

 

 

 

 

Uma resposta to “1177 – Resposta à deputada Alice Portugal”

  1. Itamar Ferreira Says:

    Parabéns Menandro! Belíssima resposta.
    Pessoas como você me incentivam a continuar na luta.
    Um grande abraço.
    Itamar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: