• APUB blinda-se contra críticas

- L'APUB c'est moi! - diria um certo "direigente" sindical, admirador de Luis XIV, o Rei-Sol, do ancien régime francês, segundo o Saci (D' aprè d'une famous peinture française classique).

Prezados (as) Colegas,

A Diretoria atual da APUB decidiu aplicar um remédio forte e amargo contra as eventuais críticas que lhe são feitas. Sua nota, abaixo, mostra o quanto foi capaz de retroceder. “Dona Solange”, a censora que se notabilizou na ditadura militar dos anos 60, não faria melhor censura numa lista eletrônica – se a internet, na época, já tivesse sido disseminada. A turma do Pasquim, Chico Buarque, Taiguara, Elis Regina, Gilberto Gil, Caetano Veloso, Geraldo Vandré, Augusto Boal e outros tantos contestadores também não teriam a menor chance com a diretoria que tem como presidente um Cientista Político. Lamentável.

Pessoalmente, acho que já está na hora de sairmos dos muros da UFBA. A sociedade baiana precisa tomar conhecimento do monstro que uma entidade sindical foi capaz de cultivar…

Só espero que as listas da UFBA não sigam a mesma trilha antidemocrática.

Continuaremos contando com a ajuda Saci-Pererê, no seu Blog, cujo endereço geral é:

http://www.osaciperere.wordpress.com

Nossa mensagem, logo abaixo, não foi liberada pela censura ou “moderação” da APUB-l.

Talvez, com a justificativa do seu dirigente maior:

L’APUB C’EST MOI!

É aí que o meu amigo Saci capricha no biquinho:

– LAPIB CÊ MUÁ!

Atenciosamente,

Menandro Ramos
Prof. da FACED/UFBA

______________
De: Menandro Ramos [mailto:menandro@ufba.br]
Enviada em: quinta-feira, 10 de dezembro de 2009 09:19
Para: ‘Apub apub’; ‘apub-l@listas.ufba.br’
Assunto: RES: [Apub-l] NOTA DA APUB – LISTAS DE DEBATES
_____________

Prezados Colegas,

Os argumentos são frágeis, qual lâmina de isopor…

Como o meu amigo Saci havia previsto, em dezembro nasceria a mensagem salvadora da lista e da censura velada.
Enquanto isso, a saúde do Plano agoniza e desce ladeira abaixo…

Até quando?

At.
Menandro Ramos

______________
De: apub-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:apub-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de Apub apub
Enviada em: quinta-feira, 10 de dezembro de 2009 05:45
Para: apub-l@listas.ufba.br
Assunto: [Apub-l] NOTA DA APUB – LISTAS DE DEBATES
______________

 

NOTA DA APUB

Prezado Professor,

Quando iniciamos a nossa gestão, em janeiro deste ano, havia aqui na APUB uma política de controle das mensagens a serem divulgadas nas listas da entidade. A gritaria de um certo número de professores de conhecida prolixidade nos textos e nas idéias era de que havia censura na APUB. Não havia censura. Havia um controle do excedente, do ruim, do desnecessário, daquilo que não contribuía para nada em termos do que era importante para a nossa comunidade. Instado por muitos colegas vinculados à nossa gestão resolvemos liberar as listas para de uma vez acabar com essa história de “censura” de que nos acusavam.

O resultado disto a um prazo não tão longo foi completamente desastroso. Estas pessoas loquazes e muito pouco inescrupulosas no que se refere a direitos dos outros num espaço que ocupam, atulharam as nossas listas com discursos imensos, repetidos e absolutamente ineficazes para o propósito das listas: informar, debater, avançar em tudo aquilo que nos diz respeito como professores de nível superior.

Numa tentativa de deter a corrente de desvinculação dos nossos professores das listas da APUB, vamos tomar algumas providências necessárias:

PRIMEIRO – criar uma lista somente com as informações da APUB para os seus associados. Nesta lista, o Professor será completamente informado de todas as atividades do Sindicato e do Plano de saúde. E também assuntos como: convocação de assembleias, convites, debates e outros acontecimentos do meio universitário e político que nos diz respeito.

SEGUNDO – a lista APUBDebates-l é o espaço onde continuaremos os nossos debates políticos, os nossos confrontos, enfim, um espaço democrático apropriado para o debate político no Sindicato. Entendemos, estamos convencidos, agora, já pela amarga experiência dos últimos meses de nossa gestão e pela “diáspora” dos nossos colegas que é preciso controlar os exageros de toda natureza. Muitos colegas não conseguiram agüentar os excessos e as impropriedades de um pequeno grupo que se entende o centro do mundo.

TERCEIRO – Por isto, a partir de hoje, a lista acima referida vai passar por um controle rigoroso no sentido de preservá-la, de fazer com que ela cumpra a sua tarefa no cotidiano do Sindicato. As pessoas não mais se sentirão obrigadas a abandonarem um espaço que é seu por conta da inconsequência de alguns. A APUB vai cumprir essa tarefa em benefício de seus associados, como já faz com tantas outras. Desta forma ficam estabelecidas as regras que pautarão o nosso controle nesta lista:

Fica proibido
• Repassar correntes ou pedidos (exceção de doação de sangue que envolva filiados e avisos de falecimento);
• Fazer do título um resumo da notícia (s) principal (is);
• Mandar arquivos anexados sem solicitação prévia;
• O envio de mais de duas mensagens diárias por professor;
• Enviar número de mensagens semanais maior que sete;
• Fornecer os endereços eletrônicos desta lista a terceiros;
• O uso do espaço para marketing, propagandas de serviços e produtos, campanhas individuais e outros, inclusive blogs;
• Ataques pessoais ou declarações ofensivas.
• Postar duas listas de forma simultânea.

Fica liberado
• Fazer ajustes no endereço individual via e-mail, enviando uma mensagem para: Apubdebates-l-request@listas.ufba.br

Anúncios

29 Respostas to “• APUB blinda-se contra críticas”

  1. Menandro Ramos Says:

    O texto acima constitui a mensagem que enviei para inúmeras listas, inclusive para a “apub-l”.

  2. osaciperere Says:

    Em 15/09/1972, o diretor da surcusal de Brasília do jornal O Estado de São Paulo recebeu o seguinte telegrama [não havia e-amail na época]:

    De ordem do senhor ministro da Justiça fica expressamente proibida a publicação de: notícias, comentários, entrevistas ou critérios de qualquer natureza, abertura política ou democratização ou assuntos correlatos, anistia a cassados ou revisão parcial de seus processos, críticas ou comentários ou editoriais desfavoráveis sobre a situação econômico-financeira, ou problema sucessório e suas implicações […].”

    O Prof. Francisco Santana vem sempre lembrando o que o velho Marx já sabia no século 19.

    – É a História se repetindo em forma de farsa ou de ópera-bufa!

  3. Menandro Ramos Says:

    O Prof. Fernando Conceição disponibilizou, na lista “debates-l”, o seguine comentário:

    “Menandro e demais, incluso Naomar (que não apoiaria uma asneira stalinista dessas da diretoria da Apub): eles, carcomidos, passarão.
    Nós passarinhos…
    fc.”

    Aproveitei para responder-lhe, também via lista:

    Ele, gavião; nós, passarinhos!… Diria o Saci, com o perdão de Quintana.

    Afinal – dirá ele se “achando todo” – a apropriação de um simples fragmento do poeta vale mais que todo o arsenal do tirano.

    ————–

    É demais, não Prof. Fernando? Quem poderia imaginar tamanho descalabro?
    O ato falho mostra que a Sibéria é aqui. Vamos todos, os contestadores, para os gulags…

    At.
    Menandro
    ————-

    —–Mensagem original—–
    De: fernando [mailto:fernconc@ufba.br]
    Enviada em: quinta-feira, 17 de dezembro de 2009 00:42
    Para: joromota@ufba.br; menandro@ufba.br
    Cc: debates-l@listas.ufba.br
    Assunto: Re: [Debates-l] APUB se blinda contra críticas

  4. Menandro Ramos Says:

    O Prof. Marcos Palacios postou na lista “debate-l”:

    Simplesmente lamentável.
    O silêncio ensurdecedor na apub-debates após a emissão do Ato Censuratório indica que ele está em plena vigência e funcionanado muito bem.

    O que se decretou foi, pura e simplesmente, o encerramento daquela da Lista enquanto espaço para debates. Alguém com um mínimo de auto-respeito vai ainda postar ali depois do estabelecimento de tais “regras” e proibiçoes?

    Confiemos que a Debates-l continue aberta ao debate e às opiniões conflitantes, deixando para os membros – todos eles professores universitários, diga-se de passagem! – a decisão do que é ou não relevante e apropriado…

    Saudações,
    Marcos Palacios
    FACOM/UFBA

    ———————-

    2009/12/16 Menandro Ramos

    De: marcos.palacios@gmail.com [mailto:marcos.palacios@gmail.com] Em nome de Marcos Palacios
    Enviada em: quinta-feira, 17 de dezembro de 2009 09:51
    Para: menandro@ufba.br; debates-l@listas.ufba.br
    Assunto: Re: [Debates-l] APUB se blinda contra críticas

  5. osaciperere Says:

    FICA PROIBIDO AMPLIADO DA APUB E DOS SEUS SIMPATIZANTE:

    De forma bem-humorada, o Prof. Roque Carvalho postou” contribuições” para o Ato Proibitório do presidente da APUB:

    […]

    FICA PROIBIDO AMPLIADO em apub-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:apub-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de Apub apub…
    > FALAR contra o reitor de plantão; contra o presidente o governador e o prefeito de plantões…
    >> Mandar beijos para o pai, a mãe, os filhos, os amigos, as amigas…
    >>> DEFENDER ou atacar o Esporte Clube Bahia…
    >>> Ser CONTRA qualquer marcha ou contra-marcha…
    >>>> Ser CONTRA qualquer caminhada ou anti-caminhada…
    >>>>> Ser contra a rede globo e a favor de edir macedo…
    >>>>>> Criticar as festas da APUB-FEST (a de natal está chegando –
    >>>>>> rô..rô..rô)
    >>>>>>> Fazer qualquer diagnóstico acerca do APUB-SAÚDE, antes que ele
    >>>>>>> seja enterrado ou cremado

    Você podeerá ampliar o ampliado colabore…. […]
    Prezado Menandro nada posso falar desta tal lista-apub, pois sabiamente, sem querer terminei a ela não associado-me. O meu ampliado não chegará a apub.

    Feliz Natal.
    José Roque Mota Carvalho.

    —————–

    —–Mensagem original—–
    De: debates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:debates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de joromota@ufba.br
    Enviada em: segunda-feira, 14 de dezembro de 2009 12:58
    Para: menandro@ufba.br
    Cc: debates-l@listas.ufba.br
    Assunto: Re: [Debates-l] APUB se blinda contra críticas

  6. osaciperere Says:

    Mais um protesto contra a “tesourada” da diretoria atual da APUB:

    Prezados,

    Que absurdo é este? Isto é uma falta de respeito com os professores desta universidade.
    Volta-se a censura de forma escancarada.
    Alguém consultou os participantes da lista sobre isso?
    Onde já se viu número limitado de postagens por pessoas em uma lista de debates somente porque alguns decidiram sair da lista?
    Quem não quer participar da lista de debates, que fique somente com a lista de informativos da apub, ou que delete as mensagens.
    Lista de debates é exatamente para debater, quantas vezes a pessoa queira.
    O que vocês estão fazendo é um ato descabido para controlar as vozes dissonantes.
    Querem que todos digam amém às decisões da diretoria?
    Não estou neste sindicato para isso.
    E quanta as alegações de que as discussões não são de interesse, quem está garantindo isto?
    Apesar de não estar participando delas, gosto de ouvir todas as argumentações, pró e contra qualquer assunto, para então poder decidir que posição tomar, ou não tomar posição nenhuma. É um direito que nos cabe, assim como é um direito que cabe aos colegas manifestarem suas opiniões.
    Espero que o bom senso prevaleça. Caso contrário, daqui a pouco nem esta lista terá mais participantes nem este sindicato mais filiados.

    Décio Torres Cruz

    From: Apub apub
    Sent: Thursday, December 10, 2009 6:44 AM
    To: apub-l@listas.ufba.br
    Subject: [Apub-l] NOTA DA APUB – LISTAS DE DEBATES

  7. Menandro Ramos Says:

    Sobre a triste nota da diretoria da APUB, o Prof. Telésforo escreveu na lista “debates-l”:

    Prezados Colegas,
    Ultimamente tenho notado uma grande insatisfação com a forma de atuação da Apub. Para substituir este modelo chapa-branca é preciso que pessoas independentes e de espírito verdadeiramente acadêmico e democrata se reunam e tomem conta da instituição no voto. Não é possivel que o sistema pinte e borde e seja sempre eleito.
    Telésforo – Igeo
    —————————–
    De: debates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:debates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de Telésforo Martinez
    Enviada em: sábado, 19 de dezembro de 2009 07:12
    Para: debates-l@listas.ufba.br
    Assunto: [Debates-l] Aos insatisfeitos

  8. osaciperere Says:

    O Prof. Tomasoni escreveu na “debates-l”:

    Caro Telésforo,
    Suas palavras são precisas e objetivas. Concordo inteiramente. Precisamos dar um basta a esta ditadura chapa branca que se implantou.

    No mais, que 2010 tragam os ventos desta mudança.

    Abraço a todos.
    Marco A.Tomasoni
    ————-

    —–Mensagem original—–
    De: debates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:debates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de Marco Antonio Tomasoni
    Enviada em: segunda-feira, 21 de dezembro de 2009 10:13
    Para: Telésforo Martinez
    Cc: debates-l@listas.ufba.br
    Assunto: Re: [Debates-l] Aos insatisfeitos

  9. Menandro Ramos Says:

    Mensagens trocadas com o Prof. Rubens Silva – ICI/UFBA:

    À Direção da APUB,

    Inicialmente, minhas saudações sindicais, com votos de uma gestão vitoriosa neste ano que está prestes a começar!
    Gostaria de manifestar-me sobre a mensagem que nos foi enviada por apub@apub.org.br no dia 10 de dezembro de2009, que reproduzo após minha mensagem. Creio que seja uma mensagem da Direção como um todo, pois não há uma assinatuira específica.
    Devo dizer que gostei da sugestão de criação de mais uma lista, limitada a alguns assuntos mais diretamente ligados a questões do sindicato, mas não posso deixar de opinar sobre outros aspectos, especificamente os ligados às decisões relativas às *proibições* no uso do endereço apudebates-l@listas.ufba.br, se é que entendi bem a mensagem.
    Sobre as proibições, posso comentar:
    – Proibir repasse de qualquer coisa na internet me parece ser fruto de um entendimento limitado do que seja a rede e das possibilidades de gestão das próprias listas pelos próprios assinantes;
    – Não entendi o que quer dizer a proibição *Fazer do título um resumo da notícia (s) principal (is)*. Peço a gentileza de um esclarecimento, quando possível;
    – Sobre mandar *arquivos anexados sem solicitação prévia*…bem, esta é uma medida que grande quantidade de listas adotam…não vejo problemas…e sempre passam por uma avaliação do mediador…e muitas listas têm mediadores…caso contrário muitos spams poderiam prejudicar as listas e seus assinantes…e por outro lado, assinantes de listas que não sabem bem lidar com este serviço acabam por enviar anexos de muitos MB, e isso naturalmente deve ser moderado… portanto, a figura do mediador deve estar atenta aos spams…;
    – Acho um absoluto equívoco estabelecer o limite *…de duas mensagens diárias por professor*. Os próprios assinantes da lista podem colocar os nomes que quiserem de assinantes da lista em uma categoria spam, por exemplo, evitando que continuem a receber o que não desejam mais receber;
    – Acho outro absoluto equívoco estabelecer o limite sete mensagens por semana;
    – Outro equívoco absoluto, em meu entendimento, a proibição de *Fornecer os endereços eletrônicos desta lista a terceiros*, até porque somente assinantes trocam mensagens na lista…mesmo que seja enviado o endereço para milhões de pessoas, somente assinantes podem fazer envios que serão recebidos, a não ser que o moderador entenda que um não assinante tenha de fato enviado algum conteúdo que mereça ser compartilhado com os assinantes;
    – *O uso do espaço para marketing, propagandas de serviços e produtos, campanhas individuais e outros, inclusive blogs*…conteúdos deste tipo eu também entendo que devam ser moderados, senão a lista vira classificados da APUB, por sinal uma boa idéia a criação desta lista também…quem quiser pode assinar;
    – *Postar duas listas de forma simultânea*, entendo que esta proibição também seja outro equívoco. A internet está aí justamente para facilitar o envio de mensagens a um maior número de pessoas (ou de listas) com apenas um clique.
    Na vida muitos esquecem a etiqueta nas relações, e é assim também com a chamada netiqueta. Podemos deletar o que quisermos, filtrar o que quisermos, e receber somente o que entendemos útil. Os moderadores deveriam ater-se a filtrar ofensas, mensagens de baixo calão, publicidade, marketing pessoal, spams, coisas do gênero, e deixar o restante por conta dos próprios assinantes. Se alguns dos assinantes, ou muitos deles, entendem que a lista os está aborrecendo, deveriam, em minha opinião, procurar entender como administrar sua própria recepção das mensagens das diversas listas que assinam. Infelizmente parece ser mais fácil passar esta responsabilidade para os moderadores. Acredito que os que solicitam o cancelamento da assinatura, mais ou mais tarde vão perceber que deixaram de receber importantes comunicados e de ter participado de relevantes debates e acabarão por repensar a decisão e solicitando a reinserção na lista…

    Meus votos de boas festas a todos.
    Rubens SilvaICI-UFBA

    ————–

    Citando Menandro Ramos :

    Prezado Professor Rubens,

    Quando o assunto não é Caetano e o The Economist, temos acordo em muitos
    pontos…

    Qualquer pessoa que se pautar por uma análise desapaixonada e justa há de
    condenar a infelicidade da mencionada nota. Aqui temos acordo!

    Quem sabe a diretoria não reconheça essa grande pisadela na bola!

    Saudações,

    Menandro
    ——————————

    Certamente poderemos até chegar a outros entendimentos em comum num futuro breve, em que a história possa nos dar os elementos que precisamos para ver melhor o que o presente não nos permite ver, de tão próximos que estamos dele…

    Na verdade, prof. Menandro, eu não condeno nem considro infeliz a nota, porque não julgo. Minha intenção é participar cooperativamente, apontando aspectos que, em minha opinião, são equívocos. Se parece que estou julgando ao indicar equívocos, só pode mesmo ser um equívoco meu…Minha opinião, pode estar equivocada também, a depender do que a coletividade, neste caso, entende.

    Desejo-lhe boas festas, e que nossos candidatos sejam eleitos… {:>D
    Estes votos são extensivos a todos que lerem esta mensagem.
    Boas Festas!
    Rubens
    ICI

    ———————-

    Prezado Professor,
    Ainda que eu não queira julgar, a História fará seu julgamento.

    Dizer que a nota da diretoria atual da APUB não foi infeliz, é admitir que a tortura do regime militar de 64 foi por puro patriotismo…

    Quanto ao meu candidato, de antemão, sei que não se elegerá. Mas não tem a menor importância. Não busco o voto útil. De sã consciência, não voto nos que atentam contra os trabalhadores, ainda que simulem preocupação com eles. Teatro só como arte. Votei no que está aí uma vez e jamais voltarei a repetir o equívoco. Errei feio. Tinha poucos elementos, na época, para fazer uma leitura crítica melhor. Mas agora o que não me falta é argumento para não votar na sua possível sucessora. Ela não me emociona nem um pouquinho…

    Quanto aos votos clássicos de Feliz Natal e Próspero Ano Novo eu também os faço – de coração – a todos. Indistintamente. Que todos tenham momentos de muita alegria. E que ela perdure pelo Ano Novo.

    Se religioso eu fosse, faria uma prece ao Menino Jesus para dar juízo ao nossos dois presidentes: tanto ao que despacha em Brasília quanto ao que assina Bulas Proibitórias na casinha emprestada da João das Botas. Entretanto, não posso fazê-lo. Sou ateu.

    Saudações Natalinas.
    Menandro Ramos

  10. Luis Paulo Says:

    Prezado Professor,

    Gostaria de ter sua autorização para publicar o seu texto denúncia sobre a censura da APUB. Situação semelhante ocorre no blog da ADUFRJ, sem que as regras sejam escalrecidas.

    Luis Paulo(webmaster)

    http://www.observatoriodauniversidade.blog.br

  11. Menandro Ramos Says:

    O Professor Israel Pinheiro tenta defender o indefensável:

    Prezado Palacios,

    Eu não gostaria de estar no meu lugar. Nossos colegas clamam dezenas
    de vezes, às dezenas por uma providencia da APUB contra a hemorragia
    escritural dos nossos colegas sacizescos. Por fim, os “incomodados”
    começaram a debandar da lista da APUB.
    Era preciso tomar uma providencia, a APUB tomou, muito a contragosto.
    E agora vem voce, um sujeito democratico, defensor do espaço publico
    para todos, se indignar contra o “perjurio” da APÚB, exatamente por
    garantir este espaço. As limitações dizem respeito a um abuso e não a
    um direito. Todos podem agora escrever na APUB, até mesmo os
    “limitados”. Tudo bem que isto aqui está cheirando à velha ordem
    imposta pelo poder. Você tem uma outra forma de garantir que os
    professores se sintam bem num espaço que é deles. O velho bordão da fé
    católica de “perdoar aos que nos tem ofendido”, simplesmente
    deletando,não dá, é exigir muito dos não católicos….É muita
    deletação, é muita paciência, é tudo muito e ruim. Não tenho uma carta
    fora do círculo sacizesco que defenda a manutenção do antigo status
    quo. Será que isto não é um parâmetro? As pessoas, simplesmente, não
    têm o direito de querer uma determinada ordem, só porque há uma outra
    que é “universal” e “sabia” e se impõe? Andando nas escolas e
    principalmente na minha, os professores estão sempre a nos parabenizar
    pela atitude que tomamos na APUB. grande abraço, Israel.

    —————————————————————-

    —–Mensagem original—–
    De: apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de isolpi@ufba.br
    Enviada em: segunda-feira, 28 de dezembro de 2009 21:48
    Para: palacios@ufba.br
    Cc: apubdebates-l@listas.ufba.br
    Assunto: [Apubdebates-l] A “censura” na APUB

    —————————————————————-
    Universidade Federal da Bahia – http://www.portal.ufba.br

    _______________________________________________
    Apubdebates-l mailing list
    Apubdebates-l@listas.ufba.br
    http://www.listas.ufba.br/cgi-bin/mailman/listinfo/apubdebates-l

  12. Menandro Ramos Says:

    O prof. Marcos Palacios, através da “apubdebates-l” respondeu ao atual presidente da APUB o que se segue:

    Prezado Israel,
    Não sou sacizeiro, não sou sacizista, mas defendo o direito de qualquer um sacizar, se assim o desejar.

    Não acredito que se deva impor qualquer tipo de “ordem” pelo silenciamento de quem quer que seja.

    Se um comentário é inoportuno ou grosseiro cabe a cada qual julgar e colocar tal comentário onde lhe parecer mais conveniente, inclusive na lata de lixo. Afinal, somos uma comunidade de intelectuais, perfeitamente capazes de julgamento próprio. Não delego a ninguém e nem a qualquer instituição esse meu direito de julgar e decidir. Quero ouvir todas as vozes inclusive – talvez principalmente – aquelas que me incomodam.

    Lamento, mas nessa questão não poderemos chegar a qualquer acordo.
    Continuo e continuarei a defender a plena abertura da Lista a todas as vozes, incluídos Sacis e Lobisomens.

    Um grande abraço
    marcos palacios

    ——————————

    De: apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de Marcos Palacios
    Enviada em: domingo, 3 de janeiro de 2010 15:00
    Para: isolpi@ufba.br
    Cc: apubdebates-l@listas.ufba.br
    Assunto: Re: [Apubdebates-l] A “censura” na APUB

  13. Menandro Ramos Says:

    Comentário da Profa. Ma. de Lourdes Nascimento, na “apubdebates-l”:

    Colega Prof. Marcos

    Concordo PLENAMENTE com a sua opinião.
    Ma. de Lourdes Nascimento

    Em 03/01/2010 15:59, Marcos Palacios escreveu:

    ——————

    De: apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de mlpnascimento
    Enviada em: terça-feira, 5 de janeiro de 2010 19:37
    Para: Marcos Palacios
    Cc: apubdebates-l@listas.ufba.br
    Assunto: Re: [Apubdebates-l] A “censura” na APUB

  14. Menandro Ramos Says:

    Comentário do Prof. Tavares-Neto, na “apubdebates-l”:

    Prezado Prof. Marcos Palacios,

    Minha solidariedade; e são três as razões principais:

    1. devemos lutar à plena liberdade de expressão, especialmente na Universidade;

    2. pelo uso da palavra “sacizescos”, de forma inadequada, S. M. J., por depreciar uma das figuras mais peculiares e queridas do nosso Folclore, o Saci-pererê; e

    3. pela preocupação que em pleno Estado de Direito, os “incomodados” (suponho, todos de nível superior) deleguem a terceiros a exclusão dos seus endereços eletrônicos da apubdebates-l@listas.ufba.br e de outras listas, em lugar do exercício mais pleno à autonomia pessoal (deletar a mensagem indesejada ou boquear no seu computador as mensagens dos amigos do Saci).
    Saudações Acadêmicas Bicentenárias,

    José Tavares-Neto
    Medicina (FMB)/Universidade Federal da Bahia (UFBA)

    ————-

    De: Prof. J. Tavares-Neto [mailto:tavares-neto@uol.com.br]
    Enviada em: quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 22:32
    Para: palacios@ufba.br; mlpnascimento@uol.com.br; menandro@ufba.br
    Cc: apubdebates-l@listas.ufba.br
    Assunto: Re: [Apubdebates-l] A “censura” na APUB

    ————-

  15. Menandro Ramos Says:

    Comentário da Profa. Cecília de Paula, na “apubdebates-l”:

    Prezado professor Isolpi,
    Demais professores da UFBA,

    A liberdade de expressão é um direito de todos, garantido por lei, inclusive. A lista de debate é, ou deveria ser, um espaço democrático de debate aberto, amplo, irrestrito. Se há restrição, não há debate. Imagine, uma lista em que o debate permitido é o debate dos que “sem paciência” estão na direção atual de nosso sindicato.

    E, de outra forma, o espaço do sindicato é (ou deveria ser) o espaço necessário do debate, das vozes que opinam e que buscam refletir a realidade social e a nossa realidade trabalhista. Assim, as opiniões são fundamentais e o debate tem que ser garantido em toda a sua forma de expressão. Da forma como está, mais se assemelha aos tempos não tão distantes que já vivemos, de abuso irrestrito do poder e da censura. Tempos que não desejo viver e que tenho certeza que muitos não desejam reviver.

    Cercear o direito dos professores à informação somente reforça as criticas contra a atual ação desta diretoria, uma ameaça a democracia que desejamos, ou, que deveria desejar exercendo esta função de dirigente sindical.

    Outro ponto. Todos nós, professores devemos e temos que ser respeitados pela direção deste sindicato, o que, certamente, não está acontecendo. Ao censurar as correspondências a partir de seu ponto de vista, está ferindo um direito e utilizando exatamente do abuso do poder, o que é inadmissível, principalmente em um espaço de debate de um sindicato de professores universitários.

    Ao comparar, a partir do seu umbigo as pessoas, adjetivando-as e, de novo, censurando, o ponto de vista de cada um por ser diferente do seu, comete um equívoco grave e impede que o debate aconteça. É simples de compreender, ou deveria ser…

    Assim, reitero o meu protesto à condução desta atual diretoria da APUB e ao estabelecimento da censura na lista de debates da UFBA em pleno século XXI.

    Cecília de Paula

    ——————–

    De: Cecilia Paula [mailto:cecilipaula@yahoo.com.br]
    Enviada em: quinta-feira, 7 de janeiro de 2010 08:47
    Para: Marcos Palacios; mlpnascimento
    Cc: apubdebates-l@listas.ufba.br
    Assunto: Re: [Apubdebates-l] A “censura” na APUB

    ——————–

  16. Joil Celino Says:

    Censura, atos proibitivos, ausência de argumentação, omissão deliberada, esterilidade de discussões, homenagens pirotécnicas…quando começarão a caça às bruxas?

    Joil Celino
    IGEO-UFBA

    P.S.: ano novo e a comida apodrecida na casa de praia soterrada, é mórbido!!!

  17. APUB na mídia digital « Blog do Saci-Pererê Says:

    Aos poucos, o Brasil vai tomando conhecimento da Bula Proibitória expedida pela presidência da APUB. Alguns blogs já noticiaram o retrocesso. Entre eles, o Observatório da Universidade. A autorização para a publicação dos textos e charges já foi dada e dispensa, aos interessados em divulgar o arbítrio, a consulta prévia.

    Saci-Pererê

  18. Menandro Ramos Says:

    Mensagem postada na lista “debates-l”:

    Caro Professor Israel Pinheiro e demais colegas,

    Que me lembre nunca postei nenhuma mensagem nesta lista, embora gaste parte do meu tempo a ler e apagar alguns dos seus comunicados, goste deles ou não. Embora os poucos que aqui me conhecem, especialmente quem comigo conviveu em órgãos colegiados saibam que não me furto ao debate nem sou de ficar calada diante do que considero um erro ou injustiça, não gosto de debates virtuais. Minha natureza requer interações mais plenas de sentidos do que o uso habitual da tecnologia possibilita. Tem que ter olho no olho, gestos, cheiros, presença física. Porisso uso a internet para pesquisas, recebimento e envio de arquivos e informações e breves comunicados, não como rede de relacionamentos. Mas, me sentí convocada a entrar nessa discussão pelas últimas mensagens.

    Esclareço que só frequento círculos familiares, profissionais e de amizades. Nesses restritos ambientes já manifestei minha indignação, decepção e frustração com o episódio da orquestrada debandada da lista da Apub, subsequente anúncio de novas formas de controle das suas mensagens e posterior quase total silêncio. Julgava que tal medida, nos termos colocados, provocaria inúmeras rejeições e ardentes debates que extrapolariam a lista, a universidade e chegariam às páginas dos jornais. Falando em jornais, ao ler as novas regras estabelecidas para as comunicações nesta lista, lembrei-me das normas ditadas pelo censor do primeiro jornal baiano, o Idade D’Ouro do Brazil, há quase duzentos anos atrás.

    Entretanto, embora muitos pensem que vivemos uma nova Idade D’Ouro do Brasil, acredito que precisamos nos convencer que vivemos em tempos outros nos quais não há lugar para soberanos e súditos nem para um poder discricionário, que sem regras pactuadas ampla e democraticamente, conceda permissões ou privilégios para as comunicações, estabeleça monopólios da informação e da verdade, censuras prévias ou “silêncios de rigor”, próprios do absolutismo e regimes ditatoriais. Há que criticar o princípe, há que conhecer e saber conviver com a divergência.

    Assim, proponho que se revogue imediatamente o controle da lista na forma anunciada. Nossas biografias e o histórico dessa entidade não merecem isso. Solicito tambem aos usuários da lista, cristãos ou não, que avaliem se a moderação, de um lado, e a tolerância, de outro, não são virtudes também fundamentais. Não desperdiçarei nosso tempo com argumentos racionais sobre o tema, descartáveis quando parecem estar em jogo questões mais táticas e estratégicas do que científicas ou filosóficas. Prefiro fazer um apelo emocionado àqueles que ainda sonham com noções de liberdade, independência, pluralismo e integridade, para que não permitam que em nome de quaisquer interesses, comodidades e objetivos se naturalize a censura, a intolerância e a opressão do contraditório, que é o que se está a fazer aqui, por mais que se queira negar ou justificar.

    Cordiais saudações

    Sonia Serra

    ————————

    From: Sonia Serra
    To: Marcos Palacios ; isolpi@ufba.br
    Cc: apubdebates-l@listas.ufba.br
    Sent: Thursday, January 14, 2010 1:29 PM
    Subject: Pela liberdade da expressão na rede

  19. Menandro Ramos Says:

    O Blog de Damarci, do Mato Grosso do Sul,
    ( http://damarciolivi.spaces.live.com/ ) publicou:

    “Uma bem humorada charge sobre censura na lista de discussão da Associação do Professores Universitários da BA.

    Veja a mesma e a carta da direção onde é estabelecida as “regras” do que pode e o que não pode na lista.

    O endereço geral é: http://www.osaciperere.wordpress.com

    o título é o mesmo da minha mensagem.”

  20. Menandro Ramos Says:

    Mensagem publicada na lista “debates-l”:

    Caro Israel, caras e caros colegas,

    Há poucos dias, com as bençãos do Senhor do Bonfim, enviei mensagem formal ao presidente da Apub, atendendo às suas súplicas por uma única carta que o fizesse repensar as medidas de controle da lista, tomadas a “contragosto”. O teor da sua resposta, entretanto, provoca certa inquietação pois não consegue afastar graves especulações e coloca novas dúvidas:

    1. será que o presidente do sindicato dos docentes acha que os proventos de nossas aposentadorias – que mesmo beneficiadas pelo art. 192 continuam inferiores aos salários iniciais de muitas carreiras – são tão gordos ou mesmo suficientes para nos permitir relaxar e gozar?

    2. o presidente da Apub entende mesmo que deve representar somente os seus eleitores, ao invés de zelar pelos interesses da categoria como um todo e de todos os filiados, aí incluídos os inativos?

    3. Como pode o presidente saber com certeza quem votou nele ou não? (Ainda bem que não temos painel eletrônico na Apub). Quanto ao ponto essencial em debate, se é correto o seu proceder com relação ao controle da lista, Israel, meu querido professor de política no mestrado, sem muito açucar mas com afeto, reafirmo minha discordância.

    Se havia insatisfação de alguns professores com excessos de alguns colegas, poderia a diretoria simplemente lembrá-los de como é fácil bloquear, filtrar mensagens ou apagá-las, como foi sugerido na lista, ou – o que entendo ser a atitude de fato correta- deveria, no exercício da sua liderança, lembrá-los da importância do debate e da pluralidade de idéias e cumprir o papel para o qual foi eleito de garantir os direitos de toda a categoria de professores (e não apenas dos seus supostos eleitores), aí incluíndo-se os direitos humanos fundamentais da liberdade de expressão e opinião e o direito à informação e comunicação. A citada diáspora, na forma realizada, ao contrário, dá margem a especulaçãoes do tipo: teriam sido as novas medidas de controle o resultado de uma ação concertada da diretoria com os seus principais apoiadores, supostamente receosos dos impactos das denúncias fundadas ou infundadas dos opositores?

    Mais uma vez, solicito, enquanto membro dessa entidade, que suspenda a censura ou, como queira, revogue as novas “regras para controle rigoroso da lista”, (algumas não só inadmissíveis, como absolutamente incompreensíveis e até agora não explicadas) e garanta a todos os membros deste sindicato, cristãos ou fundamentalistas, moderados ou exaltados, o exercício pleno dos direitos inalienáveis de liberdade de expressão e de amplo acesso a todas as vozes interessadas no debate. Acho que você não precisa de uma enxurrada de mensagens numa lista para saber o que é correto e voltar atrás, como nos episódios anteriores que citou, nem parece ser este o entendimento universal do que significa uma representação sindical. Tal atitude tampouco combina com as afirmações do seu discurso de posse de que “a desgraça do mundo não está na existência dos contrários” e que “o importante é abrir, ampliar, democratizar”.

    Essa é uma medida democrática, ou foi tomada de forma democrática?
    Será possível a construção de uma oposição, por sua vez responsável,
    “propositiva, construtiva e democrática” sem que lhe seja possibilitado o exercício cotidiano da crítica, em plena liberdade?

    Agradeço às mensagens que chegaram à minha caixa postal, elogiando a “ lucidez” na análise dos fatos ou a “coragem de dizer o que pensa, coisa rara na universidade nos dias atuais”. Lamento não poder saber se elas não apareceram também na lista porque seus autores quiseram me preservar de maior exposição, ou não quiseram se expor, face ao atual contexto da UFBA, ou porque foram barradas. Este é outro sério problema criado pelo anunciado “controle rigoroso”, que cria um clima de desconfiança que permite duvidar se a aparente omissão dos professores resulta da concordância total com as medidas, da apatia generalizada, ou é um resultado desse silenciamento. Um abraço para você e para todos os bichos e figuras mitológicas que povoam essa lista, incluídos rinocerontes e avestruzes.

    Sonia

    ————————-

    —–Mensagem original—–
    De: debates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:debates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de sonserra@ufba.br
    Enviada em: sábado, 16 de janeiro de 2010 18:35
    Para: isolpi@ufba.br
    Cc: debates-l@listas.ufba.br
    Assunto: [Debates-l] resposta do presidente da Apub

  21. Menandro Ramos Says:

    Prezada Professora,

    Dialeticamente, a gestão do Prof. Isolpi na APUB será lembrada para sempre. Como a ditadura militar no Brasil dos anos 60 robusteceu a criatividade dos nossos artistas – compositores, dramaturgos, cartunistas/chargistas, cineastas, escritores -, também a tesoura vil do colendo presidente, exercida com tanta devoção, aos pouquinhos vai tirando do “armário” dos cérebros dos nossos colegas construções literárias impagáveis. Além da sua mensagem abaixo, in totum, que muito apreciei, o finalzinho está simplesmente antológico:

    “Um abraço para você e para todos os bichos e figuras mitológicas que povoam essa lista, incluídos rinocerontes e avestruzes”.

    Antológico e ecológico, diria mais. Uma vez que rinocerontes e avestruzes também fazem parte da nossa biosfera tão maltratada, coitadinha.

    Por incrível que pareça, apesar da triste censura da lista da APUB, ainda consigo me divertir!

  22. osaciperere Says:

    Tem gente que jura que não há censura. Só zelo. Quem viveu nos anos da ditadura militar no Brasil, certamente, conheceu um enredo e um discurso semelhantes…

    A mensagem abaixo foi publicada na lista “apubdebates-l”, lista de propriedade do atual presidente da APUB, que, pelo visto, é o único professor da UFBA que detém o conceito de espaço público…:

    Confira o Ato Proibitório acima e, depois, compare-o com o texto abaixo. Após isso, tire suas conclusões:

    —————

    Prezada Sonia,

    Tudo bem? espero que esteja gozando de uma boa aposentadoria (in pecunia também!) e será por puro merecimento. Voce trabalhou muito pela nossa Universidade e pelo visto ainda continua muito ativa…

    Mas vamos à questão da “censura”. Nós fomos eleitos pelos nossos colegas para a diretoria da APUB para reprensentá-los. Isto quer dizer, pelo menos no meu entendimento, que eles decidem o que fazemos lá. Tem sido assim pela via infvormal da assembléia ou plebiscito ou invormal da infovia.

    Recentemente a Diretoria da APUB entendeu que seria bom que os professores tivessem uma casa de lazer na ilha de Itaparica. Fomos lá, vimos o imóvel, preços, potencialidades de uso etc,etc. Anunciamos na página nosso projeto e os professores foram massivamente contrarioa à ideia. Contrarios, no geral, por um entendimento completamente oposto ao nosso. O mesmo ocorreu com os descredenciamentos no plano de saude.

    Voltamos a discutir com as empresas interessadas o recredenciamento, embora a nossa decisão tenha sido tomada em base a estudos criteriosos feitos com a administração do plano.

    A questão da atual “censura” é a mesma coisa. Dezenas de professores escrevem para a APUB pedindo para sair da lista por não aguentarem mais os sacizeiros. A diretoria entendeu então que se limitasse os abusos daqueles que não têm uma noção mínima do que é um espaço publico.E é claro, entendemos também que de repente com nossa atitude eles pudessem finalmente entender o que é isto.

    Assim, prezada Sonia, que não se trata do velho e horroroso viés ideológico que está por trás da censura pura e simples. Trata-se aqui de cumprir as obrigações de um mandato, como temos feito aliás, em todos os outros momentos de nossa gestão. A questão, se voce quiser, é política. Isto mesmo, temos aqui um mandato politico a dar conta.

    Ouvimos os nossos eleitores. Os que no nosso entendimento decidem o que fazemos na APUB. Não creio que isto seja errado.

    UM GRANDE ABRAÇO,
    Israel

    —————–

    —–Mensagem original—–
    De: apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de isolpi@ufba.br
    Enviada em: sexta-feira, 22 de janeiro de 2010 10:17
    Para: apubdebates-l@listas.ufba.br
    Assunto: [Apubdebates-l] Enc: Re: [Debates-l] Pela liberdade de expressão na rede, em dia de festa do Bonfim

  23. Menandro Ramos Says:

    Publicado na lista “debates-l”, da UFBA, em 22/01/2010:

    Enquanto o Prof. Isolpi tenta de forma pueril (e de maneira quase piedosa) dizer que não há censura nas listas da APUB que ele “modera” com mão de aço inox, o Blog do Saci-Pererê atinge a marca de 14.000 (quatorze mil visualizações).

    Meu amigo Saci sabe que, em primeiro lugar, deve agradecer à censura da APUB pela sua existência. Sem as cuidadosas moderações de seu presidente, ele estaria, como seus outros irmão Sacis, nos gomos dos bambus de onde nascem, nos fundos da Faculdade de Educação/UFBA.

    Em menos de um ano, foram muitos textos e charges para enfrentar os privatistas travestidos de empreendedores e outros disfarces canastrões. De forma direta e indireta teve o combustível de seus apoiadores e detratores, sem os quais a vida seria para o Saci uma comida sem tempero.

    Aqui para nós, ele adora ver o presidente da APUB enfurecido, atirando para todos os lados. Segundo o meu amigo traquinas, o Prof. Israel Pinheiro é o oposto do Capitão Lamarca: ruim de tiro pra dedéu. O coitado não acerta uma vezinha sequer, segundo o estroina gozador.

    Dos textos publicados, chamamos a atenção para “A Roupa Nova do Rei Thor” de autoria do Prof. Francisco Santana, com 796 visitas.

    Se o blog do Saci fosse se pautar pela filosofia do pódio como se pauta a APUB e alguns setores competitivos da nossa Universidade, certamente, o Prof. Santana receberia uma bela medalha com a efígie do sorridente Saci, ou pelo mesmo, quem sabe, o pito de ouro… Aqui, entretanto, limitamo-nos apenas a reconhecer a sua coragem e inteligência aguçada colocada sempre a serviço do trabalhador e da Universidade Pública. As diferenças que, ocasionalmente, nos faz travar discussões acaloradas no âmbito particular, não nos tornam inimigos e tão-pouco nos impediram de defender bandeiras que empunhamos na esfera pública.

    O Saci e eu, assim, tornamos pública a admiração que temos pelo Prof. Francisco Santana, esse nosso valente colaborador.

    ——————————

    OBS. Aproveite para observar, Caro Leitor e “listeiro” da APUB, quantas mensagens você tem recebido deste que vos escreve, nos últimos meses, pela lista que o Prof. Israel Pinheiro modera (apubdebates-l) com sua tesoura vil. Saiba vc, entretanto, que todas as vezes que enviamos nossas mensagens, as listas da APUB estavam – e ainda estão – na cabeça dos endereços. Logo… Sua rede tem tramas finíssimas!…

  24. osaciperere Says:

    Diferente da censura da lista da APUB, exercida pelo seu presidente, o Prof. Isolpi, nosso blog se apressa em publicizar o ele escreve sobre a “legitimidade” da sua “moderação” (de forma edulcorada ou não):

    ………………………………..

    Prezada professora Sonia,

    Na carta anterior, eu queria lhe mostrar a complexidade da política como uma relação social no mundo moderno, no qual, as pessoas falando coisas opostas têm, no entanto, o mesmo direito ao espaço que está designado para todos. Quando este direito desaparece perto a políticas individualistas, autoritárias e inequivocamente conservadoras, no sentido de usar e abusar do que lhe pertence, é preciso que a própria comunidade reaja nas suas diferentes formas de manifestação. Delegar poderes à sua representação política é uma delas.

    É neste sentido que lhe pergunto. Você conhece alguma lista de discussão na internet que não tenha regras, que tenha conseguido sobreviver, em nome do belo conceito ideal de democracia que ninguém, em tese, poderia ser contra?

    Avalio que o nosso erro foi o de não produzir e explicitar as regras da lista no início da gestão. A consequência desse erro foi a saída de muitas pessoas da lista da APUB; e a absoluta maioria dos que saíram se declarou simpática a nós, afirmando que votaram em nossa chapa.

    Ora, se a nossa lista precisa de regras para não sucumbir, a quem cabe a responsabilidade de fazê-las, para que o debate não sucumba? – Naturalmente, é uma Diretoria que optou por abrir a discussão a todos e não fechá-la a poucos iniciados, tal como os nossos adversários defendem e sempre se acostumaram a fazer. Foi exatamente para abrir a discussão que a nossa Diretoria foi eleita com dois terços dos votantes. É absolutamente incompreensível sua afirmação de que entendemos que só devemos representar os nossos eleitores na APUB. Tudo o que fazemos aqui está sempre dirigido inequivocamente a todos os nossos associados. Por isto somos reconhecidos, não de agora, até mesmo pelos adversários, dentre os docentes da UFBA, IFBA e UFRB, como militantes históricos da luta em defesa da universidade pública e dos interesses majoritários dos professores universitários da Bahia.

    A existência da Lista apubdebates-l reflete, isto sim, à nossa opção pela discussão, e não por suposta censura, da qual nos acusam. Ora – reconheçamos – os nossos opositores têm sido coerentes, pois durante a campanha em que foram fragorosamente derrotados, negaram a possibilidade do uso da internet para aferir as opiniões dos associados, tal como tem sido feita pela atual gestão. Assim, seríamos ingênuos, caso não percebêssemos que a utilização da nossa lista de debates, da forma como os adversários tentam fazer, agora, com base no achincalhe e na desqualificação desrespeitosa da maioria que nos apóia, visa ao objetivo preciso de negar o nosso propósito de aferir, em primeira aproximação, as posições dos associados através da internet, sem prejuízo da realização de assembleias gerais, para as decisões finais. A preferência deles é, inegavelmente, pela seita, pelo estreitamento do movimento docente, até que, por este método, consigam maiorias artificiais, chegando ao paroxismo de assembleias de doze pessoas presentes, reunidas para escolher treze delegados, tal como é considerado normal, em todo o Brasil, no caso dos Congressos da ANDES realizados nos fevereiros da vida.

    Nós da APUB, esperamos que os nossos comunicólogos pudessem nos ensinar que listas de debates precisam de regras e de moderação, para que não se extingam rápido, por tediosas, inúteis e, muitas vezes, contraproducentes. Claro que há regras e regras, mas antes de tudo, regras. Podemos ser contrários a tais ou quais regras, isso é inegável, mas há que termos regras! Poderemos melhorá-las? – Sim, mas não podemos nos iludir, achando que conquistaremos o Nirvana da democracia total e absoluta, através de uma lista de debates reduzida, no limite, aos cultivadores do próprio umbigo.

    A Diretoria da APUB assume que tem o direito e o dever de produzir as regras, não para que vaidosas individualidades possam derramar lições surdas e irrefutáveis, mas para que a coletividade dos associados tenha a oportunidade de se sentir beneficiada pela existência de um debate construtivo a serviço da maioria dos associados da nossa APUB-Sindicato.
    Regras para a discussão, portanto, não significam censura. Afinal, que interesse tem a nossa Diretoria de cercear a liberdade de expressão dos nossos adversários contumazes, se é essa sua acerbada verve que nos tem permitido conseguir, cada vez mais, votos nas sucessivas eleições de que participamos na APUB, durante a última década?
    Cordiais saudações,

    Israel Pinheiro
    Presidente da APUB

    __________________

    De: apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de Apub apub
    Enviada em: sábado, 23 de janeiro de 2010 08:58
    Para: apubdebates-l@listas.ufba.br
    Assunto: Re: [Apubdebates-l] carta do presidente da Apub

  25. Menandro Ramos Says:

    Mensagem postada na lista “apubdebates-l”:

    Caros,

    Todos nós sabemos que movimentos truculentos de desqualificação, desmoralização, e calúnias são práticas comuns em muitos departamentos. Sabemos que os motivos são sempre para conseguir atingir os interesses políticos da agenda de certos grupos.

    Portanto, sabemos que muito do que é colocado nas listas está repleto de interesses, sejam estes quais forem. Logo, como professores bem formados e com bom senso, e também com uma vasta experiência em certos ambientes departamentais onde podemos observar mentiras, calúnias e conluios montados para alcançar segundas e terceiras intenções, podemos nós mesmos fazer o julgamento das mensagens que têm este
    propósito. Estamos preparados para isto.

    Portanto, dada a exposição acima, qualquer controle desta lista em particular pode ser enquadrado como uma forma de CENSURA. Seja quem for o moderador, quem atribuiu a este uma experiência maior do que o conjunto das nossas próprias experiências no ambiente departamental?

    Nós como um grande grupo de professores, com toda experiência cotidiana supracitada, temos muito mais capacidade de formar uma massa crítica de opinião mais próxima de uma suposta “verdade”.

    Portanto, quem achar que um moderador tem a capacidade maior de descartar a “informação indesejada” que a capacidade do grupo como um todo, está explicitando a mais pura arrogância e desrespeito pelo bom senso dos demais.

    Peço então que este texto seja disponibilizado na lista APUB.

    Um abraço,
    Luiz Alberto Luz de Almeida
    IHAC

    ——————

    —–Mensagem original—–
    De: apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de lalberto@ufba.br
    Enviada em: sábado, 23 de janeiro de 2010 15:39
    Para: apub@apub.org.br; apubdebates-l@listas.ufba.br
    Cc: docentes_ihac@googlegroups.com
    Assunto: [Apubdebates-l] Censura

  26. caqpok Says:

    cqc8TK
    ——————–

    caqpok
    gxpydylormqe.com/
    178.239.58.144

  27. mhwcfoxaz Says:

    WqsGf6

    ——————–

    mhwcfoxaz
    zjrqap@rtvvtz.com
    85.233.64.151

  28. tsiagesrkn Says:

    yKDgRZ

    ——————–

    fjzywm@mkzonp.com
    213.174.44.146

  29. zlbnhkohc Says:

    clwstpxiybbk

    ——————–

    jwbkvpdzgeug.com/
    94.125.160.159

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: