• O Manifesto dos insuspeitos

 Menandro Ramos
Prof. da FACED/UFBA

 

Quando três insuspeitos ex-presidentes da APUB-SSind se manifestam em favor da permanência da nossa seção sindical  ao ANDES-SN, tal apoio é de um peso extraordinária. Justamente eles que viveram momentos difíceis da luta sindical, mas que não se deixaram cooptar ou corromper, e mantiveram-se firmes ao princípio de que sindicato é para lutar. E lutaram bravamente.

Hoje, esses professores gozam de grande respeitabilidade perante seus pares, exatamente porque nunca transigiram e jamais usaram da máquina sindical para benefícios próprios. Nenhum deles foi núncio de qualquer reitor ou ocupou cargos na reitoria; da mesma forma, nunca permitiram que o sindicato fosse correia de transmissão, quer da administração central da universidade, quer de governos.

Às vésperas de um plebiscito espúrio, é sempre bom que os colegas docentes tenham suas memórias ativadas, principalmente numa época em que a Direção da APUB, lamentavelmente, prima – para dizer o mínimo – em usar de subterfúgios que em nada contribuem para a construção de uma prática democrática (de fato) na universidade e no sindicato. Enquanto esses três bravos Ex-Diretores são (e serão) lembrados para sempre com respeito e admiração pela seriedade como conduziram a APUB, alguns outros, sabe deus o adjetivo que a História lhes reservará.   

Os professores que fazem oposição à atual Diretoria da APUB (e eu me incluo honrosamente no meio deles), contam com muitas dificuldades para fazer os esclarecimentos sobre essa armação do plebiscito. Senão, vejamos:

1) Não é fácil sair apagando as mentiras que disseminaram sobre o ANDES-SN. Seria preciso de, pelo menos, um semestre corrido para fazer os esclarecimentos devidos aos professores, nossos colegas, que não estão inteirados das questões sindicais. Em cima dessas desinformações, astuciosamente administradas, a atual  Diretoria da APUB deita e rola. Embora qualquer indivíduo possa ter acesso aos fatos, ditos e feitos, de forma rigorosa, através de extensa documentação no site do ANDES-SN (www.andes.org.br), a verdade é que o ambiente virtual ainda não faz parte da realidade de muitos dos nossos  colegas professores, sejam eles da ativa ou aposentados. Nem todos têm por hábito acessar, frequentemente, e-mails. Ainda que o fizessem, muitos sabem dos problemas que as nossas listas enfrentam. Não são poucas as queixas dos usuários contra os critérios de que se valem os moderadores para impedir que as mensagem cheguem ao seu destino.

 2) A atual Diretoria da APUB não promoveu, o que era da sua responsabilidade, ou seja, um número razoável de debates – como era o mínimo para se exigir de uma condução sindical que se pautasse pela prática democrática –, capaz de dar  a simetria de publicização às proposições antagônicas apresentadas e submetidas, posteriormente, ao plebiscito. E isso considerando a hipótese da necessidade do plebiscito.

3) Do mesmo modo, a atual Diretoria da APUB não publicizou a votação, através de faixas e material impresso, entre outros,  conforme determinação de Assembléia, também no caso de ser considerada a hipótese da necessidade do tal plebiscito. Os campi dos “colégios eleitorais” não trazem qualquer indicação de um iminente plebiscito. Nos últimos dias, tenho convivido com a surpresa de colegas, quando menciono algo sobre o referido plebiscito.

Como você pode ver, prezado professor, a desigualdade da nossa luta se torna flagrante, uma vez que os meios que poderíamos dispor – o que asseguraria um embate democrático – nos é surrupiado pela má-fé da atual diretoria da APUB, num acintoso desrespeito às decisões do coletivo, que faz uso da máquina para impor o silêncio, no lugar do esclarecimento e assegura a opacidade ao invés da transparência. E o pior de tudo é que ela não está sozinha, além de não agir por conta própria. É desnecessário nomear os donos das mãos invisíveis que a controlam…

Dessa forma, o Manifesto dos Ex-Presidentes da APUB-SSind, docentes insuspeitos, historicamente engajados nas pelejas em favor da Universidade pública, gratuita, laica, de qualidade e referenciada socialmente, é mais do que um simples apoio de simpatizantes. Vai muito além. É, sobretudo, o testemunho consignado por  bravos colegas que deram (e continuam dando) o melhor de si para a construção de uma universidade e de um sindicato cidadãos – na melhor acepção da palavra – e de uma sociedade justa, enfim. E sem pedir nada em troca, e sem pleitear cargos ou vantagens financeiras.

 O Manifesto está disponibilizado no endereço:

 https://osaciperere.wordpress.com/campanha/manifesto-em-defesa-da-apub-ssind-e-do-andes-sn/

Uma resposta to “• O Manifesto dos insuspeitos”

  1. Mary Arapiraca Says:

    Com convicção e apreço eu também me manifesto a favor da permanência da nossa seção sindical ao ANDES-SN

    Mary Arapiraca

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: