 O IDH e o futebol

.

Francisco Santana

Os resultados das quartas de final, que ofereceu surpresas para os “experts”, me sugeriram brincar de correlação.  Segue abaixo a relação dos países que disputaram as quartas de final  com seus respectivos IDH – Índice de Desenvolvimento Humano. Como se vê o Brasil ocupa um desonroso 75º lugar, atrás inclusive de Cuba (51º) e muitos países da A. Latina e até de alguns países da África como Líbia (55º). Ver lista completa na Internet(Google). Esse fraco desempenho do Brasil desmoraliza e destroi completamente os argumentos da “Vaquinha holandesa” publicados aqui no Blog do Saci-Pererê (VEJA). Sem falar que o Brasil tem uma desigualdade regional gritante. Há regiões de baixíssimos IDH e regiões de alto IDH.

6  Países Baixos 0,964 ▲ +0,003   (HOLANDA)

15  Espanha 0,955 ▲ +0,003

22  Alemanha 0,947 ▲ +0,002

49 Argentina 0,866 ▲ +0,005

50 Uruguai 0,865 ▲ +0,005

75 Brasil 0,813 ▲ +0,006

101 Paraguai 0,761 ▲ +0,004

152 Gana 0,526 ▲ +0,008

Pela relação acima, vê-se que, em todas as partidas das quartas de final, os países de IDH maior derrotaram os países de IDH menor.

Se se mantiver essa tendência nas semifinais, a Holanda deverá derrotar o Uruguai e a Espanha deverá derrotar a Alemanha. A Holanda será a campeã, a Espanha a vice e a Alemanha o terceiro lugar. Não há nenhuma garantia de que isso aconteça, pois se não Gana não teria nem chegado às quartas de final.  Se bem, é verdade que as demais seleções africanas não chegaram nem às oitavas e das sul-americanas só sobrou uma; apenas na média (ou moda) o IDH funcionou. Pode ter sido uma mera coincidência. Segundo os marxistas leninistas, deve-se analisar a realidade no seu processo histórico.  Cada seleção dessas tem um histórico complexo que explica porque está aí.

A Holanda, por exemplo, tem uma história mais ou menos singular. De 1950 a 1970, ela não participou de copas. 1930 também não. 1934 e 1938, eliminada na primeira fase. E em 1974 surge como novidade e uma das favoritas ao título, conseguindo um honroso título de vice-campeão. Em 1978 mantém a performance e depois decai, tem uma atuação irregular (desclassificada em três copas) e parece que agora renasce.  A explicação de alguns críticos é de que o investimento nela (seleção) surge relacionado com a crise do petróleo da década de 70. O pico da crise de petróleo foi em 1973, mas já estava anunciada desde 1961, quando a recém criada OPEP aumentou os royalties de petróleo e se agravou com a guerra dos 6 dias (1967) e com a guerra de Yom Kipur (1973). A Holanda é mercado spot de petróleo (Roterdã) e tem um anti-semitismo latente lá. “Os ômi” tiveram medo de explodir o anti semitismo devido ao apoio de seus governantes a Israel. Provavelmente  o medo não era do anti-semitismo clássico contra o judeu pobre e classe média,  mas contra o judeu banqueiro que poderia se estender aos demais banqueiros até alcançar um anti imperialismo.

Por outro lado já existiam exemplos bem sucedidos de usar futebol para fins políticos, 1970 para Médice e 1966 para amenizar a crise da Inglaterra e preparar a vinda de Tratcher. 

O grande investimento em futebol na Holanda começou com o time AJAX. Uma curiosidade tirada da Internet sobre o Ajax:

…“O  (seu) apelido muito usado é “Joden”, que significa “Judeu”. Antes da segunda guerra mundial, os times que jogaram contra Ajax sempre precisaram passar por o bairro judeu em Amsterdam para chegar no estádio do Ajax. No fim do século XX os torcedores de Ajax adotaram essa ‘imagem’ e freqüentemente levaram bandeiras Israelenses para os jogos. Em janeiro de 2005 o presidente John Jaakke pediu os torcedores não mais levar as bandeiras e não mais se identificar com os judeus: “O paradoxo é que o Ajax é conhecido como clube de judeus, mas os judeus mesmo tem medo de ir para os jogos do Ajax, em casa e fora.” Nos jogos fora de casa, especialmente contra FC Utrecht, Feyenoord e ADO Den Haag, os torcedores do adversário costumam de cantar canções anti-semitistas para provocar os torcedores de Ajax…. A era de ouro foram os anos 1970 para o Ajax. A equipe de Ajax tinha os grandes jogadores holandeses como Johan Cruijff, Piet Keizer, Sjaak Swart e Johan Neeskens. Em 1971, 1972 e 1973 o Ajax foi campeão da Europa, e os jogadores de Ajax foram os mais importantes na seleção holandesa que mostrou um futebol incrivelmente lindo na Copa Mundial de 1974 na Alemanha. O que foi conhecido como a “Laranja Mecanica” realmente era por grande parte o Ajax dos anos 1970. Em 1972 e 1973 o Ajax também ganhou a Supercopa Europeia, e em 1972 foi Campeão Mundial contra Independiente..” 

 

A Holanda foi vice em 1974 e 1978. Não sei ao certo as consequências políticas disso, apenas que na década de 70 prevaleceu governos de centro esquerda. Os holandeses seriam portanto mais inteligentes que os ingleses e brasileiros, ficaram apaixonados pelo futebol,  mas não se deixaram enganar na política. Alguns poderão alegar que foi porque eles não foram campeões, apenas vice.

Na realidade a Holanda não é só spot de petróleo mas de diversas commodities principalmente as produzidas na África do Sul como a platina. A antiga URSS se beneficiou disso certa época para furar o bloqueio econômica contra si. A URSS tinha 95% das jazidas mundiais de platina e África do Sul apenas 5%. Em troca para a URSS não jogar platina no mercado a PHILLIPS holandesa importou geladeiras russas para vender com sua marca.

Voltando á copa de 2010, quais são as chances da Holanda? Há crise de petróleo real? Afeta a Holanda ou lhe dá lucros? Há necessidade de também saber o processo histórico das outras seleções. Que outros se apresentem para fazê-lo e melhorar a que fiz da Holanda. Aliás, a primeira ministra da Alemanha está presente assistindo as partidas. A Rainha Elizabeth entregou a taça a Bob Moore. Kissinger estava presente na partida Brasil e Holanda, torcendo para a Holanda. Ele não era holandês mas tinha interesse em petróleo. Deveria torcer para a Alemanha seu país de origem. Kissinger também estava junto com Videla no vestuário dos peruanos antes da famosa partida Argentina e Peru (1978). Será que o negócio dele só é petróleo? Se Kissinger aparecesse em algum vestuário com Mandela seria mais fácil fazer um prognóstico.

CONCLUSÕES:

1 – O IDH do Brasil está baixo pra caramba; vergonhoso para um país que já teve o 7º PIB do mundo (ditadura). E em total desacordo com a propaganda do governo e com o texto  “A Vaquinha Holandesa” publicado neste blog.

2 – Até esse momento só há realmente 4 países com chances de ganhar a copa: adivinhem quem são.

3 – O futebol é muito importante para se fazer análises políticas e históricas comprovando o princípio da dialética: TUDO SE RELACIONA. Aliás a feijoada também como prova Renato Pompeu em seu livro, Dialética da Feijoada, onde ele faz não só análises importantes como usa a feijoada para explicar os significados das palavras subsunção e constelação, pedantemente usadas pelos falsos intelectuais marxistas.

3 Respostas to “ O IDH e o futebol”

  1. José Roque Mota Carvalho Says:

    ACREDITO QUE FUTEBOL E IDH NÃO SÃO PARÂMETROS COMPARÁVEIS. O BRASIL É PENTA-CAMPEÃO E O IDH É RUIM. POR EXEMPLO, EM 2000/IDH=73; EM 2001/IDH=65; EM 2002/IDH=73: BRASIL CONSEGUE O PENTA CAMPEONATO. Foram realizadas 16 copas, com a de 2010. 09 TÍTULOS estão na América do Sul, IDH, ruim e 07 TÍTULOD estão na Europa, melhor IDH. Situação humilhante para França e inglaterra que contribuíram apenas com um título, cada. Abaixo de Uruguai e Argentina. Acredito que IDH mede-se pela estrutural moral (não estou falando de moral-imoral-amoral) e ética dos cidadãos que formam os países. Do cumprimento das leis. Sem entrar em polêmica: a amioria dos craques brasileiros tiveram infância alí: na linha da pobresa.

  2. Menandro Ramos Says:

    Prezado Roque,

    Chico, logo no início do texto, deixou claro:”me sugeriram brincar de correlação”.

    Na verdade, são muitas as variáveis em jogo, com perdão do trocadilho…

    abr.
    Menandro

  3. Francisco Santana Says:

    Prezado Roque,

    Fico satisfeito em saber que você concordou com as duas primeiras e principais conclusões. Se você for ao final tem lá:

    CONCLUSÕES:

    1 – O IDH do Brasil está baixo pra caramba; vergonhoso para um país que já teve o 7º PIB do mundo (ditadura). E em total desacordo com a propaganda do governo e com o texto “A Vaquinha Holandesa” publicado neste blog.

    2 – Até esse momento só há realmente 4 países com chances de ganhar a copa: adivinhem quem são.

    3 – O futebol é muito importante para se fazer análises políticas e históricas comprovando o princípio da dialética: TUDO SE RELACIONA. Aliás a feijoada também como prova Renato Pompeu em seu livro, Dialética da Feijoada, onde ele faz não só análises importantes como usa a feijoada para explicar os significados das palavras subsunção e constelação, pedantemente usadas pelos falsos intelectuais marxistas.

    Obs: o IDH é medido por PIB, educação, longevidade e talvez distribuição de renda, saúde etc.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: