 Solidariedade com a trabalhadora

 

 

Car@s

Solidarizo-me com essa trabalhadora demitida.

Qual o crime que ela cometeu? Manifestar-se com seu próprio corpo num local próprio de dança? Em que mundo estamos vivendo? Voltamos à hipócrita Era Vitoriana? Por acaso, ela – a professora – disponibilizou o vídeo no YouTube com o propósito de afrontar a instituição onde trabalhava? Será que ela, se consultada quanto à publicação do material, teria autorizado essa disponibilização, sabendo do patrulhamento das vestais e dos virtuosos empenhados em manter a aparência da moral e dos bons costumes?

Quantas coisas graves são cometidas, registradas e denunciadas neste país, e cujo final é sempre o mesmo: a indefectível pizzaria?

Enquanto isso, os poderosos deitam e rolam. E o pior é que com a conivência de alguns outros trabalhadores – lamentavelmente com a cabeça nas nuvens – , se arvorando de justiceiros e moralistas.

Faço votos que essa jovem professora, minha colega, dê a volta por cima e vá à luta. E que, sobretudo, não se deixe abater pelas labaredas dessa “fogueira santa”.

Talvez, no futuro, nossos netos e bisnetos, já melhorados e mais humanos, vejam horrorizados a execração dessa trabalhadora como uma etapa da barbárie que a humanidade felizmente superou. Talvez.

Pense bem colega, se em um momento seu, de descontração, entre amigos ou não, numa dessas baladas da vida, alguém lhe filmasse ou gravasse, você todo extrovertido, e depois disponibilizasse o material na rede sem o seu consentimento; e se isso viesse a lhe custar o emprego tão importante para a sua subsistência, como se sentiria? Não quero entrar no mérito da questão de “se ela devia ou não se preservar”. A questão aqui é outra…

É bom que se divulgue no YouTube, mais do que essas coisas menores, outras que por “dever de ofício” dos seus protagonistas – para pensar o mínimo – jamais poderiam ocorrer, ainda que em momentos “particularizados”…

Só três endereços para o leitor conferir, já sobejamente conhecidos, caso  não os conheça:

1. O Cara e a diarréia inaudível

2. Berlusconi no cio

3. O Cara nos bastidores

 

Para terminar, mais uma vez, reafirmo a minha solidariedade com essa jovem trabalhadora!

No fundo, quando um trabalhador “dança”, todos “dançamos”, pois o elo da solidariedade é quebrado…

Atenciosamente,

Menandro Ramos
Prof. da FACED/UFBA

_________________________

De: faced-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:faced-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de Bruno Gonsalves
Enviada em: sexta-feira, 28 de agosto de 2009 12:48
Para:
faced-l@listas.ufba.br
Assunto: [Faced-l] Res: A professora de educação infantil e alfabetização demitida após dança sensual vazar na NET.

É isso mesmo, Profa, tó contigo!

Se o problema fosse a postura da professora do vídeo, nem a demissão é solução.

Desculpa-se uma vaga de trabalho e os vampiros, sugadores do sangue capitalista adoraram. E nós – de uma maneira bem, geral – postamos todas as fichas, na ridicularização e na penalidade exemplar. (Que não se faça mais isto, voCê entendeu – diz a figura, esclerosada, patriarcal)

Só fico com duvida em uma coisa, tantos casos de corrupção, noticiados nas diversas mídias, e eu até hoje, ou desde que eu me entendo como gente, não vi os excelentíssimos(!) serem demitidos, ou melhor serem mandados para Marte. (e Marte é para não usar palavras de baixo calão, afinal de contas eu estou me formando para ser professor e tenho que dar exemplo!) Ainda bem que só foi um parentese.

Inté

________________________________________

De: Maria Inês Marques <imarques@ufba.br>

Para: Luana Marinho <luana_marinho@oi.com.br>; Francisca Gomes <mfsgomes@yahoo.com.br>; faced-l@listas.ufba.br

Enviadas: Sexta-feira, 28 de Agosto de 2009 7:03:50

Assunto: Re: [Faced-l] A professora de educação infantil e alfabetização demitida após dança sensual vazar na NET.

Pessoal,

O comentário na faculdade ontem foi a notícia de tal demissão e todos/as concordando com as falas de recriminação ao que fez a professora. A questão é a profissão, diziam uns, tem que ter respeito, manter postura, se preservar. Outros diziam, um filho meu não estudaria com uma dessas, a escola está certa. Por aí foram as opiniões. A minha é de espanto diante do absurdo de uma pessoa se execrada porque fez o que teve vontade, na sua vida particular. Mandei que todos assistissem Abelardo e Heloisa, quando do professor era esperado celibato. Abelardo acabou padre após sofrer violência, a professora do século XXI, perdeu o emprego e está exposta ao ridículo.

Não se pode ter vida particular? Da professora é exigido decoro. Foi punida com violência enquanto José Sarney conta com a benevolência de todos/as. Ninguém o demitiu por nos “Enfiar até o talo”,(1) a certeza de que a impunidade do poderoso é a regra. A professora do youtube mostra que, além de se contentar com o salário de miséria, que pai nenhum sai para lutar a favor, professora tem que manter a compostura e caminhar para o altar do sacrossanto lugar da educação…

Aí… você chega na escola pública, vê a situação calamitosa e pergunta: por que pais preocupados com a curtição da professora, não estão na escola para ver as condições em que vivem seus filhos estudam?

Saudações
Maria Inês Marques

———————————————-

 (1) Nome da música que a garota estava dançando.

———————————————-

—– Original Message —–

From: Luana Marinho

To: Francisca Gomes ; faced-l@listas.ufba.br

Sent: Friday, August 28, 2009 12:03 AM

Subject: Re: [Faced-l]A professora de educação infantil e alfabetização demitida após dança sensual vazar na NET.

Aiai viu…. Ñ sendo Eu… Mas foi ridicuLO.

Luana Marinho

Pedagogia UFBa

———————————————-

IC Pibic/Fapesb UFBA-Avaliação Educacional

Diretório acadêmico de Pedagogia

Diretora de relações públicas e eventos do diretório acadêmico de Pedagogia

071-8767-8020

—– Mensagem original de mfsgomes@yahoo.com.br ———

Repassando…

Uma professora de uma escola particular de Salvador foi demitida após um vídeo em que a mesma aparece dançando de forma ?sensual? vazar na internet. Isso prova que episódio como este nos mostra que enquanto profissionais de educação, precisamos estar bastante atento com nosso comportamento dentro e fora de aula, haja vista boa conduta, boa imagem, etc, são regras não somente imposta pela sociedade, mas também são requisitos fundamentais na vida de qualquer profissional.

———————————————-

Matéria do Jornal Correio da Bahia

Alexandre Lyrio | Redação CORREIO

A professora de educação infantil e alfabetização J. C., 28 anos, não tinha como calcular que cada passo de dança que deu naquela noite de junho, na casa de shows Malagueta, no Corsário, daria um resultado negativo em sua vida. Ela não imaginou que, ao subir ao palco para participar de uma coreografia em que o vocalista de uma banda de pagode puxa a sua calcinha, seria penalizada com tanto rigor.

PARTICIPE DA ENQUETE:

Você concorda com a demissão da professora que dançou ‘Todo Enfiado’?

Por causa da dança sensual, que vazou na internet, J. foi demitida do cargo de professora da alfabetização do ensino fundamental de uma escola particular. Um dos mais tocados sucessos dos atuais guetos de pagode da cidade, a música ‘Todo enfiado’, da banda O Troco, embalou a demissão da professora.

O apelo vem da letra e o vocalista Mário Brasil obedece com gosto. Levanta a calcinha de mulheres nádegas acima. Filmada por dezenas de celulares, a imagem de J. caiu na rede no dia seguinte. A professora aparece num vestido curto, com estampa de oncinha, ao lado de mais três jovens, todas realizandoamesma coreografia de dar inveja a qualquer Boquinha da garrafa.

?Não tiro a razão da escola porque trabalho com educação infantil. Todo ser humano erra e estou arrependida. Não estava nas minhas condições normais. Consumia álcool?, diz J., que tem uma filha de 7 anos. O CORREIO tentou entrar em contato com dois telefones da escola, mas não obteve sucesso.

Mudança

Ridicularizada no bairro em que morava, São Rafael, J. se mudou para a casa de parentes, na Ribeira. O motivo de sua demissão surpreendeu fãs e integrantes da O Troco.

?O que ela faz na vida pessoal, fora do trabalho, é problema dela. Pelo amor de Deus, aquilo é uma brincadeira de palco, não pode prejudicar uma pessoa a esse ponto?, diz o empresário do grupo, Júnior Badega.

?É uma menina de família. Ninguém tem o direito de julgar ela assim? concorda Mário Brasil. ?A demissão não tema mínima justificativa?, completa o produtor Cláudio Magrini, lembrando que J. é pedagoga e cursa pós-graduação.

Quanto ao vídeo, virou mania na rede. Na terceira semana no ar, contabilizava mais de 90mil acessos noYouTube. Depois, outras filmagens com o mesmo conteúdo foram postadas. Shows na capital e no interior, com mulheres realizando a coreografia, podem ser facilmente encontrados. Mas nenhum bate o recorde da edição em que a professora aparece. Até a noite de ontem, eram 101.504 acessos.

Anúncios

Uma resposta to “ Solidariedade com a trabalhadora”

  1. osaciperere Says:

    A impressão que me dá é que a superexposição deixou Jaqueline – que é o nome da professora – um tanto assustada. De forma recorrente ela tem dito que errou, que está arrependida etc. Ainda assim, numa entrevista que deu para a TV, pareceu-me que ela é uma pessoa valente, forte e digna.

    Faço votos que saiba lidar com o assédio da Indústria Cultural (IC) que nada quer senão faturar em cima do ocorrido. Seus alimentadores já descobriram que ela pode aumentar alguns pontinhos do IBOPE, e eis que a colocam sob as luzes dos holofotes midiáticos. Preocupados com sua integridade física e pscológica é que não estão, ao que me parece. Neste momento, ela é apenas uma mercadoria sui generis que pode aumentar audiência de programas televisivos e a venda de publicaçães impressas.

    Em favor da IC há o benefíco da dúvida, pois ninguém pode negar que ela é notícia, é a bola da vez. Talvez esses sejam os seus minutinhos de fama…

    Se eu não estiver enganado, provavelmente Jaqueline dará muitas entrevista para as principais publicações nacionais, ou mais do que isso, sua foto estará estampada nas principais revistas de fofoca ou não, aparecerá nos programas mais badalados da TV, e quem sabe, inventarão um prato (inspirado na música da banda que lhe estimulou dançar) que darão o nome de “Todo Enfiado”. até voltar a ser uma pessoa comum, esquecida pela mídia.

    Quanto à Banda, certamente atravessando o seu “céu astral”, pois assegurou o seu marketing 0800. Já soube que sua agenda de shows aumentou consideravelmente.

    Torço para que ela tire isso tudo de letra e de corpo. Se Nietzsche estiver correto, caso ela não morra de arrependimento pelo que fez ou de raiva pelo assédio e oportunismo da mídia, depois disso tudo, ela estará mais fortalecida e mais atenta….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: