 O aborto da Estatuinte da UFBA

Thus spoke Saci: Let me try again – The little house near the beach is very wonderful, oh yeah! (Also sprach Saci)

 

Prezado Prof. Francisco,

A sua mensagem me traz novo alento. Eu nem queria mais falar sobre esse, ao que parece, terrível palavrão/expressão: The little house. O pândego do Saci ficou me buzinando umas coisas nos ouvidos. Queria socializá-las com os amigos e parceiros, mas fiquei receoso, já que, ao que tudo indica, cedo, cedo, certos assuntos encontram logo sua caducidade. Os referidos assuntos, como a moda, creio, logo ficam desatualizados. A bola da vez é o vaga-lume, de acordo com o que li nas mensagens da lista UFBA/APUB. Depois desaparecerá para sempre, sem deixar uma só fagulha. Recentemente, espantei-me por alguém falar em Operação Jaleco Branco. Parece que esse é o destino dos eventos e crises. A grande vala comum do esquecimento tudo sepulta. Ah, a História!…

Depois que soube dos belos discursos das comemorações da FACED/UFBA, pelos seus 40 anos, dos quais fiquei privado por conta de uma maldita consulta médica no mesmo horário, minha cabeça não mais parou. E o Saci, como sempre, me cobrando uma posição.

Soube que parte da bonita festa, carinhosamente organizada por uma comissão mista constituída de facedianos, foi “maculada”, nas palavras do Saci, que do bambuzal pôde ver tudo, por números propagandísticos de convidado ilustre. Pessoalmente, discordo do amigo pândego, ainda que respeite o seu ponto de vista. Acho que cada um vende o seu peixe como pode. Se a História vai comprá-lo no futuro é que são outros quinhentos. Eu posso, por exemplo, fazer uma leitura que a UFBA tem crescido, a partir de alguns critérios por mim tomados como referência. Outros, porém, a partir de outros critérios, podem pensar exatamente o contrário. Ora, lá adiante, com base na concretude da realidade, a História baterá o martelo.

Como o meu raciocínio é muito lento, agravado ainda mais pelos “abris” (esclareço para aos desavisados que isso não é nome de bebida, como “anis”), só outro dia eu me dei conta de algo que me intrigou. Qual Sir Isaac Newton, estava eu descansando sobre uma frondosa árvore, quando algo me atingiu a cabeça. Não que um passarinho tenha me mirado com uma talagada do seu cuspe pouco aromoso ou, tampouco, que uma maçã me tenha acertado. Foi algo muito pior. Uma terrível ideia alvejou-me os miolos. O Saci buzinou, buzinou e conseguiu me sensibilizar.

E eis que me vem à mente a imagem da tal Little House near the Beach, or The APUB’s little house, all the better, para não ofender aos que se aborrecem cedo com a repetição dos assuntos, ainda que arriscando atentar contra a língua de Shakespeare. Aquilo passou a me encafifar o juízo. E se aquela Little House near the Beach fosse tão-somente um balão de ensaio ou uma cortina de fumaça?

Ora, aquela brilhante ideia teria saído da mente privilegiada de uma cientista político. Ele não pediu a um laranja qualquer para escrever a tal carta propondo a aquisição da Little House. O próprio presidente foi quem assinou a hilária missiva. Depois que choveram e-mails ele recuou, todo compreensível e amigável. Bem diferente do que tem sido nos últimos tempos.

Aí entra o Saci:

– E se, e se e se…

– Não sei, meu bom amigo. Sinceramente, não sei!

Descartada a ideia improbabilíssima da venda de um imóvel encalhado de um parente ou amigo, só me restava pensar no que poderia estar nos distraindo ou, pelo menos, tentando fazer isso. Em não obtendo uma resposta plausível, não mais me restou, senão, colocar o cérebro em stand-by e aguardar um insight, uma revelação, um estalo, ainda que bem mais modesto do que teve o Pe. Vieira.

Enquanto isso, professor Francisco, vou pensando em coisas menores, como por exemplo, na Estatuinte da UFBA que querem, por que querem abortar. O atual Magnífico tem pressa e não pode esperar por demorados processos.

A Estatuinte da UEFS, aqui nossa vizinha, vem rolando por uns dois anos. Lá eles acham que a comunidade tem que ter a participação ativa e ser protagonista do processo. Lá eles acham também que as instâncias institucionais (Áreas, Colegiados, Departamentos, Conselhos) ou entidades representativas (ADUFS, SINTEST, DA e DCE) tem muito a contribuir. E até mesmo individualmente, qualquer membro da Comunidade pode participar.

Aqui não. Tudo tem que sair da cachola brilhante do Magnífico, de alguém que, segundo um dos seus assessores, “é quem mais entende de educação superior no Brasil, e quiçá no mundo”. Fico até com pena do nosso dirigente maior. Isso já é exploração. É muita fadiga para uma pessoa só. Na minha santa ingenuidade, achei que “L´État c’est moiou melhor L´Université c’est moi (uma espécie de absolutismo esclarecido acadêmico pós-moderno),  já estava fora de moda. Mas, ao que tudo indica, eu é que estou desatualizado.

Dezembro, Prezado Professor Francisco, é o limite para se criar o marco regulatório. Zeus desceu do Olimpo e determinou. Sem chorumela. Não sei o porquê dessa pressa, da elaboração aligeirada das normas que irão conduzir as futuras gerações da nossa querida e maltratada Universidade Federal da Bahia, mas há tanta coisa que nem suspeitamos, não é verdade? É aí que entra o pândego e debochado Saci, já que a atual diretoria da APUB se finge de morta:

– Chefe, acho que já matei a charada. É que, segundo as Santas Escrituras escandinavas, depois do DEUS THOR (ou Rei-Thor, como o senhor prefere) VIRÁ O DILÚVIO.

E aí, Prof. Francisco, fico pensando, ainda que não queira falar nesse nomezinho que já começou a incomodar, e que o senhor corajosamente restabeleceu:

– Se o pilantra do Saci tiver com a razão, se vier depois um dilúvio dos brabos ou um tsunami, a já mal-afamada Little House ou, no popular, com o perdão da má palavra, a tal casinha da ilha será a primeira a sobrar. Tendo ou não como síndico o atual presidente da APUB.

Quem viver, lerá!

Concordo inteiramente como o senhor Prof. Francisco. Tem como não voltar a falar de um assunto desse? Tem?

Atenciosamente,

Menandro Ramos
Prof. da FACED/UFBA

______________________

De: apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br [mailto:apubdebates-l-bounces@listas.ufba.br] Em nome de Francisco José Duarte de Santana
Enviada em: segunda-feira, 19 de outubro de 2009 21:55
Para: Marcos Palacios; apub.debates
Cc: apub-l@listas.ufba.br
Assunto: Re: [Apubdebates-l] [Apub-l] Casa na Praia

 Eu me filiei à lista apubdebates. Entretanto recebo mensagens também, como agora recebí, mensagens da apub-l@listas.ufba.br: como não sei se publicarão a minha resposta na dita lista, envio-a também à apubdebates.

1) Numa lista democrática e eu parto do princípio que esta seja, ninguém tem o direito de achar que tal discussão não é boa ou já deve terminar.

2) A APUB tem 2.840 filiados e até agora só se pronunciaram sobre a casa uns 20. É muito pouco.

3) Muitos professores já se queixaram de censuras a suas mensagens e que eram escritas no mais alto nível acadêmico e de educação doméstica.

4) A sua começa com um palavrão (o fato de ser em inglês de cais do porto não o absolve). Eu acho isso uma agressão aos demais professores.

5) O Sr. deve ser então amigo do Rei, pois o moderador não a censurou. De minha parte eu não sou a favor que lhe censurem, pois a pior censura é a que a pessoa se impõe depois que percebe que escreveu uma bobagem.

6) Eu não tenho nada mais a falar, por enquanto, sobre a casa, mas respeito os que ainda querem se pronunciar.

Francisco Santana

—————————–

Em 18/10/09, Marcos Palacios <palacios@ufba.br> escreveu:

Fucking Hell !!!!!!! ainda isso??????  Já não deu? Pelo amor de Deus, falemos de outras (quaisquer!) coisas.

Não dá para sentir que é assunto largante superado??????….

Saudações,

marcos palacios

 

2009/10/18 Marcos Palacios <marcos.palacios@gmail.com>

Fucking Hell !!!!!!! ainda isso??????  Já não deu? Pelo amor de Deus, falemos de outras (quaisquer!) coisas.

Não dá para ver que é assunto largante superado??????….

Saudações,

marcos palacios

2009/10/15 pc-tavares <pc-tavares@uol.com.br>

 

Sejamos objetivos. Alguém deverá ser beneficiado com a aquisição da casa de praia pela APUB e não creio que sejam os professores devido à repulsa que a idéia da compra provocou na comunidade.
Saudações
PCT

Uma resposta to “ O aborto da Estatuinte da UFBA”

  1. Menandro Ramos Says:

    Divulguei o texto acima para as listas da UFBA/APUB. Se os censores mostrarem cerviço, não é comigo. Que tentei chamar a Estatuinte para a UFBA, tente. O leitor pode dar seu testemunho…

    At.
    Menandro

    ——————————-

    Car@,
    Você, certamente, vai estranhar o título anglo-saxônico da mensagem. Não se assuste e nem se impressione. Não estudei em Havard, não falo e nem escrevo em Inglês e muito menos em Alemão. O próprio Português me consume o juízo tanto para falar quanto escrever. Portanto, não se deixe impressionar. Caso tenha paciência de ler tudo o que escrevi, bem como o que outros colegas escreveram, vai entender melhor o porquê de não ter mantido o título do blog do Saci-Pererê ‘O aborto da Estatuinte da UFBA’ no endereço:
    https://osaciperere.wordpress.com/%e2%99%a6%e2%99%a6%e2%99%a6-4-%e2%99%a6%e2%99%a6%e2%99%a6/mensagens/o-aborto-da-estatuinte-da-ufba/
    O Prof. Francisco Santana, como sempre vem fazendo, acerta na mosca. Nenhum milímetro a menos.
    No aguardo de que a zelosa moderação UFBA/APUB queira dignar-se liberar esta.

    Atenciosamente,
    Menandro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: