– Resposta ao presidente da APUB

Prof. Israel

Depois das descomposturas lançadas sobre a minha pessoa – na lista que o Sr. controla de forma nada democrática – por parte de um membro da atual diretoria da APUB, nada é mais razoável do que o presidente da entidade fazer um pronunciamento solft, como se nada de mais houvesse acontecido. Diante do que foi por mim denunciado,  através da lista “Debates-l”, da UFBA, não lhe deixei outra alternativa senão esta, que de forma pouco convincente apresenta aos professores da UFBA que acessam a “Apub-l”. Pedir novamente à “porta-voz” destemperada para redigir outra nota, certamente seria assinar um atestado de insensatez.

Diga o que quiser, escreva o que bem entender, mas não menospreze a inteligência alheia, Prof. Israel. Os professores da UFBA não são os bobinhos que o Sr. imagina. Claro que não quero dizer com isso, que não existam aqueles que ainda ouvem o canto das sereias…

O tempo todo o Sr. e seus adeptos tentaram jogar os professores da lista contra mim. Volta e meia parece que o Sr. estimula seu grupo a me colocar como o responsável pela “saída em massa” dos docentes da “Apub-l”. Certamente o Sr. imagina que só um cientista político tem a capacidade de pensar, de raciocinar… Volta e meia, membros do seu grupo tentam enxovalhar o meu currículo, uma vez que sustento contra a APUB a denúncia de que a mesma foi transformada em correia de transmissão da administração central da UFBA e do governo federal e se distanciou das bandeiras histórica levantadas pelos docentes em favor da Educação Pública, substituindo a luta pela negociação dócil.

Pergunto, aqui, ao presidente da APUB, o que a entidade fez para estimular a instalação de uma Estatuinte, quando foi anunciada a necessidade de construção de um novo marco regulatório para a UFBA? O que, de concreto, a APUB fez para estancar a precarização do trabalho docente que cada vez mais ganha novos contonos em nossa universidade?  Ou, ainda:

Por que será que os seus parceiros me insultam quando me posiciono politicamente contra esse governo “pai dos pobres e mãe dos ricos” – como já foi dito – e em favor do trabalhador explorado, iludido, engambelado? Por que me atacam quando defendo a permanência da APUB ao ANDES-SN, cuja força – se juntos – é incomparavelmente maior do que teria uma simples agremiação local para tratar dos interesses docentes? Por que seus pares não dialogam, mas, antes, vociferam e tentam impor suas “verdades” lesivas aos interesses do trabalhador? Por que, os seus tais parceiros insistem em mostrar a minha incompetência (se pessoalmente me reconheço como tal), bem como o meu “improdutivismo” se o que está em jogo é a incompetência (ou seria astúcia?) dos dirigentes para com o bem público, comprometendo, pela incúria,  o futuro da qualidade de vida da maioria dos brasileiros? Por que, enfim, o Sr. insiste em censurar os meus escritos em lugar de estimular o contraditório, próprio de uma lista acadêmica?

O caráter da sua “porta-voz”, para assuntos de truculência, Prof. Israel, ficou muito bem evidenciado, ao tentar distorcer os fatos que ela conheceu tão bem, pois sempre esteve ao meu lado na Faculdade de Educação, em batalhas políticas que travei e persisti, por nelas acreditar. A Profa. Elisabeth Bittencourt sabe mais do que ninguém o que ocorreu na FACED. Ela sabe, ainda hoje, que não descuidei do tempo de convocar uma nova eleição para diretor, dado o falecimento do Prof. José Arapiraca de quem, pelo voto, me tornei vice-diretor. Mesmo que o quisesse, as normas da UFBA não me permitiriam ir além do tempo previsto; da mesma forma, a referida professora sabe que na primeira eleição em que concorri à direção da FACED com a Profa. Iracy Picanço, na contagem dos votos, houve o empate. Numa segunda conferência das cédulas, a Comissão Eleitora descobriu que em uma delas não constava a assinatura da presidente da mencionada Comissão, o que motivou a anulação de um voto dado à candidata, e isso significou a minha vitória por um voto de diferença; também a Profa. Elisabeth acompanhou a veemência com que os apoiadores da Profa. Iracy Picanço insistiram em que houvesse uma nova eleição para dirimir qualquer dúvida.

A posição firme que tomei em defender algo que acreditava, me fez sustentar uma argumentação sólida a meu favor perante o Conselho Universitário, evocado como juiz da querela. Diante das minhas ponderações, o aludido Conselho se viu com dificuldades de julgar e remeteu de volta o processo à Congregação da FACED.

Dessa forma, Prof. Israel, o repugnante expediente da Profa. Elisabeth Bittencourt para falsear os fatos corridos há mais de quinze anos na unidade onde trabalho, com o objetivo torpe de tão-somente desacreditar talvez um dos maiores críticos da atual diretoria da APUB, para um público devidamente informado e com aguçado sentimento de justiça, só desabona a sua autora, pois ela conheceu as minúcias do processo e as alterou de maneira perversa. E, nesse caso, falta com a verdade deliberadamente. Tenho ciência de que colegas da FACED ficaram horrorizados com o que leram na mensagem infeliz da professora Beth. Por tabela, a reputação dessa diretoria fica também arranhada, uma vez que de forma inconsequente a instigou. Creio que a própria Profa. Iracy Picanço, com quem me relaciono muito bem atualmente, não se recusaria a confirmar o que estou aqui publicizando a contragosto.

Para refrescar sua memória e dar conhecimentos aos mais novos de “excentricidades” costumeiras a toda prova, foi dessa mesma Sra. Elisabeth Bittencourt, numa Assembleia por campanha salarial, ocorrida salvo engano no PAF, a proposta escatológica – felizmente recusada – de cada docente levar vasilhames contendo urina e fezes para lançá-los em órgãos públicos. Se os livros de ata do sindicato não registraram a estapafúrdia proposta, para preservar o movimento docente de tamanho vexame, certamente a memória de alguns dos colegas mais antigos não me deixará mentir.

Vê-se, então, Prof. Israel, que o Sr. se equivoca quando delega a outrem, sem o devido preparo, a defesa da atual diretoria da APUB contra as minhas críticas, principalmente se a “porta-voz” escolhida não possui os predicados da moderação, tão importantes para a construção do diálogo deveras democrático.

Para finalizar, sinto-me constrangido em fazer referências à diretoria, de forma ampla, pois desconheço como atuam alguns dos seus membros. Com outros até me relaciono bem, como a Profa. Nanci e a Profa. Heloísa. Por ambas, tenho grande apreço e admiração. Em nenhum momento fiz qualquer alusão à vida pessoal de quem quer que seja. Limitei-me apenas em criticar a atuação política dos que estão à frente da APUB.

Continuo levantando as bandeiras históricas do movimento docente. Continuo defendendo as bandeiras do ANDES-SN.

Até quando a minha saúde permitir, continuarei me insurgindo contra a astúcia do capital financeiro que transformou muitos dos nossos colegas em verdadeiros apóstolos dos eus dogmas anti-humanos. Uns, de forma ingênua, o acolhe. Outros, de forma interesseira.

Menandro Ramos
FACED/UFBA

—————————————————-

De: apub-l-bounces@listas.ufba.br
[mailto:apub-l-bounces@listas.ufba.br]
Em nome de Apub apub
Enviada em: terça-feira, 26 de outubro de 2010 18:55
Para: apub-l@listas.ufba.br
Assunto: [Apub-l] Sr. Menandro

Sr. Menandro,  

A APUB certamente liberou o artigo do professor, contendo um link no corpo da mensagem, porque o mesmo tratou de um convite ao aprofundamento do tema, e não propaganda do autor do artigo referido.O Sr ainda não compreendeu que a APUB não pode servir de veículo de propaganda de um professor, por melhor que ele seja, porque APUB é de todos os mais de 2.700 filiados. Se essa entidade tentar servir de propaganda sistemática e freqüente de um professor terá que servir para todos que assim desejarem: e não há espaço para tal, nem mesmo espaço virtual. O espaço coletivo pertence a todos, por isso ninguém pode dele se apropriar sempre. Nesse sentido, vale lembrar que a APUB publicou as propagandas do blog do prof. Menandro durante mais de dois meses consecutivos. Até ser repreendida pelos seus próprios associados, que iniciaram uma saída em massa da lista da APUB. Esta teve que escolher, entre as três centenas de associados que ameaçavam sair da lista, ou a sustentação da propaganda do seu blog.Vejo que a APUB acertou na escolha, porque agora temos apenas um só queixante, o Sr. Menandro.

Israel Pinheiro
Presidente da APUB


Rua Padre Feijó n 49 – Canela. CEP: 40110-170, Salvador – Bahia.

Tel/Fax: (71) 3235-7433 | (71) 3235-7286 | Email: apub@apub.org.br

 

2 Respostas to “– Resposta ao presidente da APUB”

  1. osaciperere Says:

    Circulou na lista “Debates-l”:

    A nota assinada pelo Sr presidente endereçada ao Sr Menandro é estranha.

    Primeiro porque diz que não pode fazer propaganda de ninguém? Já foi dito aqui que o próprio presidente utilizou-a para pedir voto para um candidato (e para pedir voto se faz propaganda!).
    Segundo, a nota fala de três centenas de associados que queriam sair da lista (ameaçaram)???? Imagino que trata-se de “figura de linguagem” mas onde estão e quem são os queixumes? Porque suas queixas não são públicas? Porque a decisão do assunto sobre a listas dos 2700 associados não foi mote de decisão dos 2700? Será que o presidente ainda lembra do que sejam princípios democráticos?
    Terceiro, dizer que o professor Menandro é o único queixume… quá quá quá quá, desta vez abusou de ser patético ao querer resumir a um, o conjunto de críticos desta gestão.

    Por fim, porque será que se gasta tanto espaço com este tipo de expediente. Abuso do uso da máquina sindical para desqualificar desafetos é truculência e ponto.

    Cláudio Lira
    ———————————–

    De: CLÁUDIO LIRA [mailto:clira@ufba.br]
    Enviada em: quarta-feira, 27 de outubro de 2010 09:11
    Para: menandro@ufba.br; debates-l@listas.ufba.br;
    faced-l@listas.ufba.br; apub-l@listas.ufba.br
    Assunto: RES: [Faced-l] ENC: [Apub-l] Sr. Menandro

  2. osaciperere Says:

    Circulou na “Debates-l”:

    Prezado Prof. Cláudio e demais,

    Sinto-me envaidecido por ter sido transformado em uma verdadeira “metonímia” pelo presidente da APUB. A insigne parte valendo pelo todo! Ou pelo menos, por muitos… É pouca coisa?

    Já se vê que os escritos do colendo presidente continuam menosprezando a inteligência alheia.

    Pobre APUB!

    At.
    Menandro

    ——————————-
    De: faced-l-bounces@listas.ufba.br
    [mailto:faced-l-bounces@listas.ufba.br]
    Em nome de Menandro Ramos
    Enviada em: quarta-feira, 27 de outubro de 2010 09:44
    Para: ‘CLÁUDIO LIRA’;
    debates-l@listas.ufba.br;
    faced-l@listas.ufba.br;
    apub-l@listas.ufba.br
    Assunto: [Faced-l] RES: ENC: [Apub-l] Sr. Menandro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: