Archive for abril \24\UTC 2014

Para onde vão os Debates com os pleiteantes à Reitoria da UFBA?

abril 24, 2014

.

auditório lotado

O Auditório do PAF I foi pequeno para comportar tanta gente ávida para ouvir o que os candidatos e candidatas tinham a dizer.

E.

.

.

sempre alentador ver os espaços da UFBA cheios, vibrantes. Ontem, dia 23/04, o segundo Debate entre os pleiteantes à Reitoria da UFBA, patrocinado pela APUB proificista, ASSUFBA e DCE foi tão concorrido quanto o primeiro, realizado no Auditório da Faculdade de Arquitetura/UFBA, dia 10/04/2014, pela Oposição APUB.

Mas há quem já questione a serventia dos debates, uma vez que os candidatos já vão com os scripts prontos, elaborados segundo o gosto do público: todos levantam a bandeira da autonomia da Universidade Pública, todos apoiam a produtividade, mas abominam o produtivismo, todos reconhecem que a academia não pode isolar-se da sociedade, e por aí vai.

No último debate ocorrido na Faculdade de Arquitetura, a Prof. Joaquina Lacerda, aposentada do IGEO/UFBA, confessou-me ter ficado decepcionada por não ter suas perguntas respondidas devidamente pelos candidatos. No segundo debate, ontem, não foi diferente. Cada candidato procurou ressaltar o que  tinha mais domínio e omitir o que desconhecia. Anos atrás, o Prof. Felippe Serpa já chamava a atenção, de forma bem-humorada, sobre as astúcias de qualquer debatedor em pegar um gancho mínimo do que podia render-lhe o máximo e de fingir-se de distraído ou de morto até, quando a resposta podia ser-lhe comprometedora. Também ressaltava que, para não parecer inconveniente, dificilmente o auditório insistia na pergunta não respondida pelo debatedor. Assim, a plateia saia do debate mais confusa do que entrou. Talvez tenha sido esse o meu caso.

Confesso que, no debate de ontem, foram poucos os avanços que tive para me orientar em relação ao melhor candidato para a UFBA. Senti-me mesmo confuso. As “personas” assumidas pelos pleiteantes à cadeira de Edgar Santos ainda não me permitiram tomar uma decisão. Talvez eu precise gastar mais dois ou três debates. No fundo, tenho uma ponta de inveja daqueles que já chegam com um adesivo no peito, pois é sinal que não têm dúvida sobre quem escolhe e só estão no local do debate para aplaudir o seu candidato.

Uma coisa que tenho  de admitir é que alguns candidatos esgrimem bem o verbo, os silogismos, a retórica, enfim. Pesam cada vírgula, cada reticência, cada entonação. Quem sabe se no futuro  não tenhamos um sofisticada dispositivo de ressonância magnética ou coisa cibernética que o valha, capaz de registrar o íntimo das pessoas? E aí saberemos quando as palavras não são aliadas eficazes da busca da verdade para a excelência da construção coletiva, ou quando são simples veículos de robustecimento de egos…

Devo mencionar que, durante o segundo debate, o Prof. Dirceu Martins foi o único dos candidatos que assumiu que só existe um sindicato dos docentes, que é o ANDES-SN, deixando a presidente da APUB proificista, Profa. Cláudia Miranda, que presidia a mesa, levemente ruborizada. Já o Prof. João Salles, respondeu de forma genérica, cuidadosa, como se temesse desagradar a metade dos integrantes da APUB governista que votou na atual diretoria da entidade sindical dos professores da UFBA. O Prof. Nelson Pretto e o Prof. Luiz Rogério esqueceram –  ou não quiseram responder! – ao que foi perguntado durante o II Debate entre os pleiteantes a reitor e vice da UFBA: Senhoras Candidatas, Senhores Candidatos: ANDES-SN ou PROIFES?

Diria o Saci: “Quem tem [a perder] tem medo”

—————————-

Obs.: Após a postagem acima, fomos informados que o Prof. Nelson Pretto e o Prof. Luiz Rogério se posicionaram em relação ao ANDES-SN X PROIFES. Como só ficamos até o final do segundo bloco, não presenciamos as respostas dos citados candidatos, que só responderam a indagação sobre a opção ANDES-SN OU PROIFES no bloco seguinte. Clique em comentário (Comments) abaixo.

 

Reitorado Tripartite emplacaria na UFBA?

abril 13, 2014

.

REITORADO-TRIPARTITE

V.

.

amos combinar, Colega, a decisão de ser dirigente de uma universidade não é um ato extremo, pensado apenas para salvar o sacrossanto espaço universitário ameaçado pelo desgaste cotidiano. Falando francamente, já que não corremos o risco de alguma criança ler este post, e ficar traumatizada em relação às lides acadêmicas, a escolha que alguém faz de se candidatar a reitor ou reitora, ainda que de forma não declarada, esconde um pouco a vaidade de ocupar o magnífico cargo e, talvez, em maior intensidade, a sedução pelo poder. Poder esse que abre as portas para muitas e muitas conquistas pela vida afora, infinita enquanto durar.

Leia mais: AQUI.

 

Polarização Salles X Pretto

abril 11, 2014

.

CANDIDATOS.

F.

.

oi um sucesso o I Debate entre os reitoráveis da UFBA, organizado pela Oposição APUB, e realizado no Auditório de Arquitetura, ontem, dia 10 de abril. No início dos trabalhos, o Prof. Marco Antônio Fernandes (IMAT), que havia se manifestado como candidato, declinou de participar, ficando, então, os professores Dirceu Martins (IQUI), João Salles (FFCH), Luiz Rogério (IGEO) e Nelson Pretto (FACED).

Diante do tema proposto para o debate “Manifestações e repressão: o que a UFBA tem a ver com isso?”, todos foram unânimes em rechaçar qualquer tentativa por parte do Estado em impedir as manifestações legítimas e democráticas.

Foi lembrado o episódio do dia 16 de maio de 2001, em que a polícia do então governador César Borges, a serviço do carlismo de triste memória, invadiu o campus do Canela, para impedir que os estudantes protestassem contra a violação do painel do Senado Federal pelo senador Antônio Carlos Magalhães. Na ocasião, a comunidade da UFBA realizou um ato no Palácio da Reitoria, para denunciar e protestar contra a brutalidade patrocinada pelo governador, com um saldo de estudantes e servidores feridos e violentados por bombas de gás lacrimogêneo, como nunca fora visto antes na história da Universidade. Nem mesmo nos anos de chumbo da ditadura militar de 64. Na época o reitor Heonir Rocha marchou pelas ruas do Canela ao lado da comunidade universitária e políticos da oposição em defesa da UFBA.

É bom lembrar que, em 2007, no reitorado do Prof.  Naomar Almeida, a polícia federal invadiu (leia AQUI) o Palácio da Reitoria para prender e cometer violências contra estudantes que o ocuparam em protesto contra a falta de assistência estudantil e contra o decreto do Reuni, de autoria do governo Lula da Silva.

O Blog do Saci-Pererê tomou a iniciativa de pesquisar as intenções de voto por categoria, através da urna tradicional, e obteve o seguinte resultado:

debate-1a.

A apuração do resultado, logo após o término do Debate, foi feita pelos professores Altino Bonfim (FFCH) e Mary Arapiraca (FACED). Constatou-se que nem todos os presentes votaram, e que em algumas cédulas as categorias não foram assinaladas pelos votantes: Dirceu (2 votos); João (6 votos); Nelson (8 votos). Além desses votos houve ainda três cédulas assinaladas com a expressão “Governo Tripartite”. Houve apenas um voto em branco.

Diante do apresentado, conclui-se que, até o presente momento, e considerando a totalização dos votos, a disputa está polarizada em torno dos nomes do Prof. João Salles e do Prof. Nelson Pretto, de acordo com o resultado que obtivemos através da enquete eletrônica realizada neste Blog. No caso da enquete realizada in loco do I Debate, o Prof. João Salles obteve maior votação entre os estudantes e o Prof. Nelson Pretto, entre os docentes. O Prof. Dirceu Martins teve, entre os estudantes, a metade dos votos obtido pelo Prof. João Salles, enquanto o Prof. Luiz Rogério não obteve nenhum voto entre os estudantes.

publico 2

.

publico 1

I Debate entre os Reitoráveis da UFBA

abril 4, 2014

.

Cartaz-Debate

.

A.
.
Oposição à direção da APUB já agendou o I Debate entre os Reitoráveis da UFBA. Em face aos conturbados tempos que estamos vivendo, escolheu-se o tema: “Manifestações e repressão: o que a UFBA tem a ver com isso?”. 
Não faz muito tempo, no reitorado anterior, a Reitoria da aUFBA foi invadida por agentes da repressão… Arremedando Lula, “nunca na história da Bahia se cometeu tamanho despautério”… É preciso, portanto, em tempos de correias de transmissão azeitadas, saber como pensa cada candidato e conhecer qual o seu potencial de capitulação.

Leia mais (AQUI)

Enfim, os reitoráveis!

abril 3, 2014


REITORÁVEIS
PROCURAM-SE VICES (aqui pra nós).

Leia também “A briga por espaço“.