– Tinha uma rocha no meio do caminho…

Para o Saci, quem viver, rirá…

.

Car@s,

Creio que “discussão de maneira civilizada” a que se refere o colendo Professor João Rocha não pode ser levada a  sério. A forma como os da diretoria da APUB interpretam a realidade, certamente, pode ser vista no vídeo oficial da entidade, que tivemos de inserir passagens “acidentalmente” omitidas. Poderiam, acaso, falar em ética, em seriedade?

Confiram:

https://osaciperere.wordpress.com/2012/04/29/apub-assembleia-de-abril-vermelho/

Quanto à expressão “por seus métodos anti-éticos e pela conhecida truculência intimidatória!”, sem muita dificuldade, a mesma é negada por outra: “Asseguro-lhe que já form tomadas as devidas medidas jurídicas contra a ação desse grupo”.

Aliás, quanto a essa “civilizada” prática intimidatória ou ameaça light, estamos ávidos por ela. Mas que venha rapidinho…

Ainda no campo da ética, não sei se ao colendo diretor da APUB a pratica quando se vale de um golpe baixo para tentar desqualificar alguém:  “Existe até um professor que se orgulha de não ter curriculo Lates”. Se ele se refere a mim,  o faz de maneira incorreta e, quem sabe, “marota”. Quando decidi não mais abastecer a Plataforma Lattes com meus dados, salvo engano em 2008, não significa dizer que não a tenho e que tãopouco não continuo trabalhando duramente na UFBA. Aliás, sempre critiquei os que fazem da militância sindical emprego… como o fez durante muito tempo um certo ex-presidente de um certo país da América do Sul, tão admirado e laureado. Os títulos de “honoris causa” já não são mais os mesmos, segundo o meu amigo de gorro vermelho e pito…

Por fim, é bom notar que o autor da frase “Asseguro-lhe que já form tomadas as devidas medidas jurídicas contra a ação desse grupo”, além de explicitar uma torpe tentativa intimidatória – ainda que vã! –   revela que o mesmo autor tenta se apropriar das “medidas jurídicas” quando isso lhe é conveniente, e insiste em colocá-las sob o tapete quando elas lhe soam incômodas.

Já que o preclaro diretor se refere a “medidas jurídicas”, talvez seja interessante relembrar-lhe dois artigos da Lei maior que rege esse Brasilzão de meu Deus, um dos quais cria problemas “existencias” para a APUB proifiana:

ART. 8º DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL (inciso II)

II – é vedada a criação de mais de uma organização sindical, em qualquer grau, representativa de categoria profissional ou econômica, na mesma base territorial, que será definida pelos trabalhadores ou empregadores interessados, não podendo ser inferior à área de um Município;

ART. 9º – É assegurado o direito de greve, competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.   § 1º – A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.   § 2º – Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas da lei.

Atenciosamente,

Menandro Ramos
FACED/UFBA

2 Respostas to “– Tinha uma rocha no meio do caminho…”

  1. osaciperere Says:

    Circulou na “debates-l”:

    ——————————-

    Caro prof. Joao Augusto Rocha

    Com todo o respeito professor: os professores não se dividem entre “aqueles um e aqueles outros”. Eu acredito que ninguém é tão inocente a ponto de pensar que um movimento é deflagrado por uma maioria ou por um significativo grupo. Todos os movimentos que participei ou vi nunca foram assim. É um processo que acontece e aglutina uma massa de docentes insatisfeitos submetidos a uma lógica espúria e produtivista de trabalho como a que vivemos hoje. Tenho certeza que falo por uma significativa porção (se não a maioria) dos docentes do IGEO.

    A UFBA dos sonhos criada no seio da “nova” univelha não é diferente e não pode ser indiferente ao que acontece no cenário nacional. Seu contentamento com as politicas governamentais não pode sobrepujar outras avaliações.

    Voces não podem omitir uma discussão aberta e franca. Chega de segurar as bases deste modelo forjado em bases contestáveis. O partidarismo impresso na sua fala deixa claro que por vossa direção e ficaremos esmagados pela politica salarial rebaixada e completamente desproporcional as nossas funções. É melhor ter calma em alardear ganhos de superfície enquanto em profundidade o país e destruído.

    Outra questão: acredito que os professores não “afiliados” a fileiras partidárias (não que veja algum problema nisso) tem ideias próprias e são capazes de decidir por si mesmos. Pensar politicamente é também avaliar o que esta acontecendo ao nosso redor.

    Outra questão: é necessário distinguir entre expansão e inchaço.

    Outra questão: é necessário distinguir entre inclusão pelo alto e uma ação efetiva pela base e isso não aconteceu, pois não há projeto efetivo para a educação brasileira senão uma maquiagem estatística formulada pela desigualdade. Desigualdade profunda que é marca nos padrões de qualidade docente e discente.

    Vou ficando por aqui, pois o foco é outro.

    E se de fato quiséssemos discutir, não marcaríamos assembleia para as 16h não.

    Marco Tomasoni
    IGEO – UFBA

  2. Marco Says:

    O que posso dizer kkkkkkkkkkkkkkkkkk. O João tem feito Anisio Teixeira se virar no caixão. Realmente o entusiasmo dele pelos programecos do governo servil de Lula e Dilma são no minimo ridiculos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: