O Congresso da UFBA

.

cap ff.

.

oi o Saci quem me chamou a atenção para as justas preocupações do Prof. Altino Bomfim. Segundo o pestinha, atualmente, apenas o reitor  e o Prof. Altino estão preocupados que o já anunciado Congresso tenha um  bom princípio e um bom fim”. Parece que o resto da UFBA ainda anda meio sonolento…

Otimista e disposto a arregaçar as mangas, o Prof. Altino vem insistindo que a organização do evento não deva ser apenas de vontade e responsabilidade do  dirigente maior da UFBA. Para ele, ainda que o reitor assuma o protagonismo próprio dos dirigentes, é necessário que docentes, técnico-administrativos e estudantes também opinem sobre a cara que a instituição quer ter num futuro próximo…

***

Mas para não dizer que só se fala do cravo da cruz hegeliano,  é bom que se diga que alguns ainda se manifestam pessimistas com os rumos que a Pátria Educadora tomou, preocupada que está em pagar os juros da dívida, mesmo que seja à custa de corte de verbas da área social, pois os bancos nunca podem esperar… Sabe-se que se a farinha é pouca, a prioridade é para propriedade privada. O Prouni está aí para comprovar essa tese. Em tempos de vacas menos magras, podia-se até pensar em algumas migalhas para o uso social da propriedade, o que não é o caso agora.  Nem de longe.

Há de se convir que, se a crise é mesmo para valer como dizem por aí, alguém tem que dar uma enorme  cota de sacrifícios. Mas não pega bem que o judiciário abra mão do auxílio moradia que lhe confere tanta dignidade, ou perca a prerrogativa do passe livre, que permite andar em carros oficiais de último modelo. Também não pega bem para o executivo federal servir bebida para seus convidados em copos de extrato de tomate. E o que dizer de os nobres parlamentares, legisladores de alto coturno, terem que arrastar chinelos para as lojinhas da Ceilância quando precisarem comprar uma simples gravata italiana? Até porque nem mais os shoppings centers estão livres dos arrastões…

Diante do que se descortina no palco da ordem/desordem capitalista, aqui e alhures, dando crédito à previsão de grande estiagem, não se imagina que um simples ou até mesmo robusto congresso universitário tenha prerrogativas mágicas de fazer chover dinheiro como se fora uma dança da chuva. Isso não. Mas ainda que não o faça, é certo que tal evento, ao fim e ao cabo, reafirma magistralmente – ou magnificamente! – o que prometeu o discurso de  posse do atual dirigente da venerável instituição septuagenária: “A UFBA não pede socorro, luta!”

Ainda que o tinir dos ferros do longínquo campo de batalha – dirá o Saci –  não altere nem de leve os rumos que foram decididos além-mar para a Educação Superior brasileira…

Por mais boa vontade que se tenha – arrisca dizer o pestinha, mas sem assumir o menor tom pessimista -, uma única universidade brasileira jamais poderá corrigir os rumos desastrados que a Pátria Educadora tomou por norte. Essa tarefa hercúlea, descomunal, só pode ser abraçada por um povo inteiro. Inteirinho, coeso e consciente. Seja pelo voto das armas, seja pelas armas do voto.

– Talvez com amplas vantagens para a segunda opção – conclui ele.

CONGRESSO DA UFBA 2016.

Que UFBA queremos?

Prof. Altino Bonfim (FFCH)

o cap.

.

reitor deu um pontapé inicial chutando a bola para o alto! Na berlinda, na cena política, um Congresso que foi anunciado com o objetivo de PENSAR A UFBA.

A bola está pulando nos campi: que devemos fazer? Esperar os anúncios oficiais ou nos movimentarmos?

Prezados professores, queremos ouvir sua opinião, sua ideia sobre o Congresso, como acha que o mesmo deve ser organizado, como você pensa em participar.

PESQUISA SOB A RESPONSABILIDADE DO SACI

GENTE, VAMOS DESCOBRIR AS PERNAS (OU QUANTAS PERNAS TEM) DA UFBA?

1) Qual sua ideia sobre um Congresso da UFBA?

> Mais um evento

> Uma ampla reunião dos três segmentos

> Palestras, mesas redondas, apresentações de trabalhos

> Oportunidade de encontrar os amigos e confraternizar

> Debates em plenárias

> Espaços de deliberações

> Nenhum destes

2) O que você pensa sobre os objetivos? Sobre que assuntos/temas deve-se pensar/refletir?

a mobilidade nos campi

o buzufba

o R.U.

grana

a autonomia

indissociabilidade ensino, pesquisa e extensão

□ a convivência sócio-cultural

□ a relação da universidade com a sociedade

□ o produtivismo e a precarização do trabalho docente

a assistência estudantil

a infra-estrutura física

os trabalhadores professores e os técnico-administrativos

o meio ambiente

□ a cultura do dia a dia

□ a formação política

□ produção editorial

□ estratégias e metodologias de ensino-aprendizagem e relação professor-aluno

□ TUDO ISSO

4) como você pretende participar do Congresso?

□ como assistente

□ apresentando trabalhos

□ apoiando a organização

□ como sujeito social

□ aproveitar o recesso de uma semana

□ nenhum destes

4) Como deve ser gerenciado o Congresso?

> Deve ter um coordenador geral: ____

> Ou uma coordenação coletiva?______

> A Comissão Organizadora deve incluir representantes das unidades, dos três segmentos e de outras áreas e setores?_____

> os representantes devem ser indicados ou  eleitos?

 

4) Mobilização e participação

Como deve ser mobilizada a comunidade para participar?

  • por simples edital
  • por ampla divulgação nas redes sociais, faixas, cartazes
  • os professores devem dialogar com os alunos nas aulas
  • os professores devem realizar atividades sobre o assunto

5) Sobre a Estrutura e Organização

Esse Congresso deve ser organizado:

  • para apresentação de trabalhos individuais
  • para palestras
  • de forma a permitir a reflexão e problematização coletiva
  • com base em metodologias participativas
  • com vistas a definir Princípios e Diretrizes Políticas nas diversas áreas/campos em que a universidade atua.

Salvador, 17 de janeiro de 2016.

 


%d blogueiros gostam disto: