Privatiza, Brasil!

.

pronatec e privadas

Para o Saci, isso que é fazer uso desproporcional da força!

.

Cap-c-vaso.

.

ada vez mais as políticas do governo vão se tornado indefensáveis, contraditórias com o apoio que vem recebendo das universidade públicas. A cada pressão que o capital faz, a  presidente Dilma Rousseff vai liberando mais recursos para o setor privado. Ela sabe muito bem que pode bater sem dó nem piedade na res publica que os camisas-vermelha, muitos deles pagos com o dinheiro público, gritarão em seu favor, melhor, em favor de Lula pelas ruas do país. Como foi no dia 18 de março e como provavelmente será no próximo dia 31. Não se deve repetir Nelson Rodrigues dizendo que elas gostam de apanhar, por que ninguém gosta de maus tratos, mas que o fervor pelo governo petista é estranho é, da parte de alguns. Há de haver uma explicação para isso. Que há, isso há!

Ao ler a notícia veiculada pelo ANDES-SN, alguém debochou:

– Puxa, vida! Eu defendo Dilma e ela me ataca!

Ao que, imediatamente, foi respondido por alguém apavorado com o que pode acontecer com país, pela fúria da militância governista, que não se conforma com os desdobramentos da Lava Jato:

– É melhor calar!


 

Enquanto as instituições federais de ensino sofrem com os cortes e bloqueios de recursos promovidos no início do ano, o governo federal divulgou, nesta sexta-feira (18), o repasse de mais R$ 13,1 milhões para bolsas nos cursos técnicos e de qualificação profissional do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).  Quase metade do montante, R$ 5 milhões, será destinado ao Sistema S (Sesi e Senai).

O repasse foi publicado em uma portaria do Diário Oficial da União. Outros R$ 3,5 milhões estão previstos para o Instituto Dom Moacyr, do governo do Estado do Acre; R$ 3 milhões para a Secretaria Estadual de Educação do Piauí; e R$ 1,5 milhão para a Secretaria Estadual de Educação de Goiás.

Para Francisco Jacob Paiva, 1º secretário do ANDES-SN e um dos coordenadores do Grupo de Políticas Educacionais do Sindicato Nacional, as ações do governo federal confirmam a análise que o ANDES-SN vem fazendo sobre a natureza do Pronatec, que está em consonância com as metas privatistas do Plano Nacional de Educação (PNE), aprovado em 2014.

“Fica cada vez mais explícito aquilo que a gente vem denunciando, que é o oferecimento de uma educação baseada na parceria público privada, com forte transferência de recursos públicos para a inciativa privada que atua na área da educação, e, particularmente, em relação à concessão de educação técnica e tecnológica, que está presente no projeto Pronatec”, avalia.

Paiva ressalta ainda que há anos o Sindicato Nacional, e várias outras entidades que atuam no debate educacional, criticam esse tipo de programa. “O Pronatec reforça aquela dicotomia de uma formação técnica unilateral para os filhos dos trabalhadores, desprovida de uma formação geral, como a oferecida aos que têm acesso à universidade”, completa.

O diretor do Sindicato Nacional ressalta que é necessário que os docentes ampliem a luta por mais recursos para a educação pública. Ele lembrou que março, de acordo com a agenda temática definida no 35º Congresso de Curitiba e enfatizada na última reunião do Setor das Ifes, é o mês da luta por ‘Orçamento das IFE e a luta contra as Organizações Sociais (OS).

Durante este período, as seções sindicais do Setor das Ifes intensificarão a pressão junto às reitorias das instituições federais para que revelem o orçamento executado no ano de 2015, para que a comunidade acadêmica tenha conhecimento do tamanho real dos cortes em cada instituição. Além disso, irão cobrar também das administrações das IFE que divulguem qual a previsão de cortes e contingenciamentos para o ano de 2016. (Fonte: AQUI).

 


%d blogueiros gostam disto: