– Voto por procuração

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para o Saci, certos apelos do Prof. Rocha se confundem com as orações das criancinhas inocentes, pedindo algo a Papai do Céu…

.

.

andaram uma mensagem para este Blog, a fim de chamar a atenção dos professores da UFBA sobre o modus operandi e a aflição do colendo diretor Acadêmico da APUB, Prof. João Augusto Rocha.  O missivista, que não quer ser identificado, após longa exposição um tantinho iracunda, conclui em tom gozador:

 “Tempos misteriosos e patéticos! Onde está o valente cordelista que insistia em nos lembrar da bravura de Marighella e da inteligência fina de Anísio Teixeira? Quem lidou tanto com cálculo estrutural, não foi capaz de calcular sua delicada estrutura para sustentar as demandas docentes e hoje se transformou num melancólico Joãozinho Nada Augusto Isopor… Gentil do Ouro não merecia isso. De lá ele não é, com cerveja! Pode ser do Covil do Bezouro, que é onde o capeta costuma tramar suas mutretas. […]

Não quero dar guarida a mensagens um raivosas como a que recebi, e até uma tanto ofensiva mesmo. Fico apenas com o seu lado bem humorado… Rir é melhor, não? Creio que o momento é muito delicado (também engraçado!) e não podemos deixar que os ódios pessoais contaminem um movimento tão belo como este que APUB-LUTA Oposição Sindical conseguiu soerguer. Sem ódio, mas com muita determinação, vamos dar a resposta que a diretoria da APUB merece ter, pela sua traição à categoria. Tudo na maior tranquilidade e no voto da Assembleia. Felizmente, jogamos limpo, sem precisar do subterfúgio do plebiscito viciado ou do sufrágio eletrônico obscuro. A democracia sindical está do nosso lado e saberemos refutar qualque expediente suspeita que queira prejudicá-la.

Confira o desespero do Prof. João Augusto que está pagando até o reconhecimento da firma do eleitor (no mundo real, de acordo com as Leis brasileiras, transportar eleitor é crime… Alguma analogia poderia ser aplicada?). Afinal, a diretoria da APUB tem dinheiro até para comprar casa de praia se quiser… Na última Assembleia, eu gravei a sua presidente dizendo “o dinheiro da diretoria”.  Deixo para os profissionais da Psicologia dizerem se foi ato falho ou não. Mas, vejamos o patético apelo do ínclito diretor Acadêmico da APUB.

“colegas 

ESTA  TAREFA É URGENTE!
No sentido de nos precaver contra a possibilidade de a Assembléia  do Golpe na  APUB atingir o quórum, que é de 140 associados, estamos,  por orientação jurídica, pegando procurações que deverão ser levadas  para a Assembleia, para que  o voto seja  dado por procuração.
Observações:
1. Em princípio, o reconhecimento das firmas das procurações fica a meu encargo, mas quem puder me entregar com a firma reconhecida, já vá  adiantando. SOMENTE ASSOCIADO DA APUB DEVE PASSAR A PROCURAÇÃO. Indique o cartório em que cada um dos outorgantes tem firma;
 
2. Meu telefone: 9161 5272. Meu endereço: Av. Princesa Isabel  458/803, perto da entrada para a 8 de dezembro, do outro lado da  avenida. Quem puder entregar as procurações em meu endereço, já ajuda. É só deixar na portaria, num envelope com meu nome. Isso deve ser feito  até amanhã, 14/5, ao meio dia. Quem tiver dificuldade de entregar no meu endereço, indique o seu, que iremos buscar;
3. Recomendamos que ninguém compareça à Assembleia,  já  autoconvocada pela turma do golpe para quarta feira 15/8, às 14:00 h, em Arquitetura;
4.  Estou mandando para vocês o texto do modelo de procuração. Não  deve ser preenchido eletronicamente, mas em papel,  preenchida somente a parte do outorgante;  
5. Estabelecemos uma meta de 10 procurações para cada um de vocês,  se possível de pessoas da inteira  confiança, porque o adversário  precisa ser surpreendido com as procurações;
6. Gostaria que cada um de vocês se esforçasse para cumprir a meta estipulada, mas me informem sobre isso, visa e-mail (http://br.mc319.mail.yahoo.com/mc/compose?to=jrjoaroch@gmail.com) para que eu possa tomar  providência adicionais, no sentido de a meta global ser cumprida;
7. Favor não mandar a cópia da procuração via e-mail. Me informem os e-mails ou os telefones que vocês querem mandar;
8. Quem estiver fora de Salvador, passe os dados e peça a alguém para preencher, e me entregar a procuração;
9. Façam contato com o maior  número possível de colegas, pedindo-lhes que se juntem a nós nessa  tarefa.  Eu centralzo isso também
À vitória!
João Augusto”
.
Ao ler o veemente apelo do ilibado diretor, o meu amigo de gorro vermelho e pito não pôde deixar de observar:
– Se Carlinhos Cachoeira tivesse acesso à lista “debates-l”, com certeza, ele estaria roendo os punhos de inveja, por não poder fazer o mesmo…

Uma resposta to “– Voto por procuração”

  1. osaciperere Says:

    Circulou na “debates-l

    —————————

    Senhor Professor,

    Enquanto escrevia sua primeira mensagem, a notícia abaixo, publicada no portal Terra, relata que a pressão da quase totalidade dos Docentes das Universidades Brasileiras e, mais principalmente, da maioria dos Servidores Federais (com poder econômico) enfim obrigou a Presidente convocar, no final da manhã de hoje, a Ministra Miriam Belchior e também na tarde de hoje o Ministro da Fazenda. Amanhã, os jornais darão conta dessas reuniões. Destaco na notícia abaixo que a categoria Docente é tratada como “entre outros” e, talvez, isso evidencie o quanto somos considerados pela mídia e nesse outro Governo Neo-liberal. Portanto, é hora de luta e pressão sobre esses políticos, TODOS com carteira de trabalho com data de vencimento.

    Atenciosamente,

    José Tavares-Neto

    ————————–

    Terra: Dilma faz reunião para tratar de greves

    publicado em 13 de agosto de 2012 às 18:25

    Dilma comanda reuniões para ver quanto pode oferecer a grevistas?

    13 de agosto de 2012 ? 12h58 ? atualizado às 13h39

    ————————–

    DIOGO ALCÂNTARA
    Direto de Brasília

    do Terra

    A presidente Dilma Rousseff dedicou a manhã desta segunda-feira para encontrar uma solução que atenda a reivindicação de grevistas por aumento e o controle fiscal. Em reunião com a ministra do Planejamento, Miram Belchior, e o ministro da Secretaria-Geral, Gilberto Carvalho, o grande dilema do Executivo é encaixar qualquer margem de reajuste no orçamento.

    ?O problema hoje é fazer caber (nas contas do governo). Os reajustes ainda estão em estudo na área econômica?, disse um interlocutor próximo à presidente. Além da reunião da manhã, a presidente convocou uma audiência no início desta tarde com o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

    Também hoje, no horário do almoço, a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann reúne-se com os ministros da Fazenda e do Planejamento para discutir o orçamento de 2013.

    Nesta semana, o governo conduz uma rodada de negociações para tentar encerrar a greve que dura mais de dois meses. Se atender a todas as categorias, qualquer percentual de reajuste atenderá a mais de 500 mil pessoas, que compõem o quadro de servidores federais no Brasil.

    A presidente já deixou claro a sua equipe que sua prioridade é manter o setor produtivo a pleno vapor para assegurar o nível de emprego no País. Para esta semana, por exemplo, está marcada uma reunião com grandes empresários e também o anúncio de concessões para ferrovias e rodovias.

    O movimento grevista

    Iniciados em julho, os protestos e as paralisações de servidores de órgãos públicos federais aumentaram no mês de agosto. Pelo menos 25 categorias estão em greve, tendo o aumento salarial como uma das principais reinvindicações. De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), o movimento atinge 28 órgãos, com 370 mil servidores sem trabalhar. O número, no entanto, é contestado pelo governo.

    Estão em greve servidores da Polícia Federal, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Arquivo Nacional, da Receita Federal, dos ministérios da Saúde, do Planejamento, do Meio Ambiente e da Justiça, entre outros. O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (Sinagências) informou que dez agências reguladoras aderiram ao movimento.

    O Ministério do Planejamento declarou que está analisando qual o ?espaço orçamentário? para negociar com as categorias. O governo tem até o dia 31 de agosto para enviar o projeto de lei orçamentária ao Congresso Nacional. O texto deve conter a previsão de gastos para 2013.

    No dia 25 de julho, a presidente Dilma Rousseff assinou decreto para permitir a continuidade dos serviços em áreas consideradas delicadas. O texto prevê que ministros que comandam setores em greve possam diminuir a burocracia para dar agilidade a alguns processos, além de fechar parcerias com Estados e municípios para substituir os funcionários parados.

    Leia também:

    Centrais sindicais rejeitam ?toda forma de autoritarismo?

    Maria Godói Faria: Mídia reforça preconceito contra servidores

    ————————————————-
    Em 13 de agosto de 2012 15:58, escreveu:

    Caro Professor Tavares-Neto

    Muito grato, professor. Minha intenção não é polemizar com o senhor.
    Eu só queria saber os nomes dos parlamentares que conseguiram, ou têm esperança de conseguir, reabrir as negociações da Andes com o Governo. Faço votos que consigam, e que a Andes não encaminhe de novo a pauta de 71 pontos, que aí é querer terminar a greve sem negociar e capitalizar nada.
    Vou informar o Proifes sobre os nomes dos parlamentares que o senhor me enviou.
    Atenciosamente
    João Augusto

    Citando “Prof. José Tavares-Neto” :
    ————————–

    Senhor Professor,

    cc: Amigo do Saci; e Docentes da FMB-UFBA

    Não há negociação encerrada que não possa ser reaberta, exceto na Coréia do Norte e Afins, e sobre isso muito bem sabe Vossa Senhoria, ou deveria saber; ou poderá ter mais notícias com os Senadores Álvaro Dias (PR), Cássio Cunha Lima (PB) e Aloísio Nunes (SP), e também com os Deputados que estiveram com a Ministra Belchior – v. nomes dos mesmos na agenda da Ministra, da semana passada, ou notícia no “link” da Comissão de Educação da Câmara. Ontem, soube que Prof. Luiz Filgueiras manteve contato com um Senador da Bahia, mas sobre isso é melhor saber com esse Docente da ECO-UFBA – como estou fora de Salvador, e tenho acesso muito restrito da web, não tenho aqui o C-elo do Prof. Luiz Filgueiras.

    Sobre peleguismo e pelegos, esses não são do meu domínio e nem lido bem com os mesmos.

    Quanto ao(s) Grupo(s) de Trabalho, proposto(s) pelo Governo e aceito(s) pela SUA entidade, é questão de fé – mesmo porque desde 2010 somos ENROLADOS e, bem sabe, que NADA será definido para 2013 após envio do
    Orçamento em 31 de Agosto p. Também, não é verdade sua interpretação sobre os prejuízos dos Aposentados, em 2015 estarão com proventos bem menores, comparados aos atuais valores, bem como da maioria das classes docentes. Ou seja, pela sua proposta em 2015 estaremos em situação muito, muito pior, e com carreira destroçada. *Por que defende essa prejudicial proposta do Governo, também defendida em rede nacional pelo presidente do proifes tão logo teve conhecimento?*

    Felizmente, agora é tempo de Vossa Senhoria defender nossa categoria.

    Atenciosamente,

    José Tavares-Neto

    Em 13 de agosto de 2012 12:11, escreveu:

    ————————–

    Caro Prof. Tavares-Neto

    Fiquei surpreso, ao tomar conhecimento de um seu e-mail, a mim enviado por um dos colegas que o receberam, na lista da Escola de Medicina da Bahia – UFBA.
    Gostaria de ter o privilégio de saber quais foram os deputados e senadores que lhe encaminharam a informação sobre que o Governo (MPOG ou MEC, não importa) voltará a negociar com os docentes, por intermédio da
    Andes.
    Caso isso seja verdade, irei comunicar ao Proifes Federação, para que também possa aperfeiçoar a proposta discutida entre ele e o Governo, publicamente, na cena da audiência do dia 24/7 passados, que levou à
    assinatura do Acordo entre ele e o Governo, no dia 03/8.
    Após a assinatura do Acordo pelo Proifes, o Governo afirmou, publicamente, que as negociações estavam encerradas com os docentes, mas que o texto, tal como estava, ficaria aberto somente até a data de hoje,
    13/8, para que a Andes, o Sinasefe e o Condsefe ainda pudessem assiná-lo.
    Mas isso seria, veja bem, o acordo já sacramentado no dia 03/8, com o Proifes, sem mais qualquer modificação.
    Estranho, portanto, a ser verdade o que o senhor afirma, a atitude da Andes de se articular uma proposta final,em separado, com o MPOG. Para quem pensa um pouco, esta sim é que se constitui numa uma atitude de
    peleguismo explícito.
    Quanto aos aposentados, existem problemas com uma parte deles, sim, mais particularmente com aqueles que, com doutorado, ficaram represados na condição de Adjunto IV. Acho que merecem ser reposicionados como
    Associados, mas este é um assunto que está entre os dez que o Grupo de Trabalho, a ser criado em setembro próximo, irá estudar, para resolver, segundo consta do Acordo assinado pelo Governo empelo Proifes, no dia 03/8 passado.
    Fico no aguardo dos nomes dos deputados e senadores que, por fineza, espero que o senhor possa me fornecer, no mais breve tempo, no interesse da defesa das reivindicações de nossa categoria.
    Atenciosamente
    João Augusto de Lima Rocha
    Diretor Acadêmico da APUB Sindicato, entidade vinculada ao Proifes Federaçã

    ————————–
    Citando “Prof. José Tavares-Neto” :

    Prezados Colegas,

    Reforçado pelo poder econômico de outras categorias em greve, desde que categoria docente neste País não tem valor para as autoridades federais, há fortes perspectivas do MPOG, digo Ministra Miriam Belchior, reabrir negociações na p. semana – isso segundo informações de alguns Senadores e Deputados (nenhum da Bahia!), considerando que foi retirada qualquer autoridade do Min. Aloisio Mercadante/MEC sobre essas trativas. Neste novo tempo, o MEC é mero órgão cartorial.

    Neste contexto, é essencial nós Docentes da UFBA dizerem na Assembleia da p. quarta-feira (15 de Agosto, 14h, no auditório da Faculdade de Arquitetura): se somos favoráveis ou NÃO proposta PELEGA aprovada pelo
    proifes-apub; também, precisamos mostrar aos Docentes Aposentados, filiados, relevância da sua participação nessa p. Assembleia, pois pela proposta do Governo serão maiores vítimas e em 2015, mais do que nós,
    estarão com proventos à fome. Para isso, se concordar, por favor enviem mensagens sobre essa Assembleia aos Docentes aposentados do seu Departamento.

    É hora de reservar esse tempo, destinado à Assembleia de 15 agosto, ao nosso futuro.

    Saudações Acadêmicas Bicentenárias,

    *José Tavares-Neto*
    Médico do Complexo Hospitalar Universitário Prof. Edgard Santos
    Professor Associado III do Departamento de Medicina Interna e Apoio
    Diagnóstico (DEPMD), Faculdade de Medicina da Bahia (FMB),
    Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: